Norte Energia vai enviar máquinas para atender a demanda de índios

Empresa vai perfurar poço em aldeia onde quatro funcionários estão retidos

Contrução da hidrelétrica de Belo Monte, no Pará - Dado Galdieri / Bloomberg Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/economia/norte-energia-vai-enviar-maquinas-para-atender-demanda-de-indios-18883426#ixzz435Pj29rB © 1996 - 2016.  Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.
Contrução da hidrelétrica de Belo Monte, no Pará – Dado Galdieri / Bloomberg

A Norte Energia, empresa responsável pela usina hidrelétrica de Belo Monte, enviará nesta quarta-feira para a aldeia Curuatxé, na Terra Indígena Curuaia, maquinário para perfuração de um novo poço artesiano, para atender à demanda de abastecimento local de água. O pedido foi feito pelos indígenas que mantêm em cativeiro quatro pessoas desde quinta-feira, sendo três funcionários da Norte Energia e um piloto de embarcação de uma empresa prestadora de serviços.

A empresa informou também que, apesar de estarem retidos, os reféns não sofreram maus tratos físicos.

Nesta terça-feira, ocorreu uma conversa via rádio com as lideranças Curuatxé — que ficam a 360 quilômetros do canteiro de obras da usina — envolvendo a Norte Energia, a Funai e a Casa de Governo em Altamira, órgão relacionado à Secretaria de Governo Federal. Em nota, a Norte Energia informou que “está empenhada em reverter a situação por meio do diálogo aberto com a comunidade indígena”.

Segundo relatado por fontes a par da situação, o fornecimento de água, prometido pela Norte Energia para ser instalado a partir desta quarta-feira, era uma das demandas originais dos Curuatxé quando do início do sequestro. Um poço artesiano que teria sido construído recentemente na região teria ruído poucos dias depois de instalado, deixando a comunidade sem esse recurso. A aldeia tem cerca de 50 habitantes.

OPERAÇÃO ATRASADA

De acordo com a Norte Energia, na aldeia “já foram construídas pista de pouso, casas de moradia e casa de farinha e um sistema de abastecimento de água, além da execução dos projetos de fomento da produção agrícola, fortalecimento institucional e preservação da cultura e modos de vida tradicional, dentre outros”.

Em fevereiro, a Norte Energia começou os testes para iniciar a geração em Belo Monte, que deveria ter começado a funcionar há um ano, pelo contrato de concessão. As 24 turbinas da usina entrarão gradualmente em operação, atingindo a capacidade plena em 2019, disse a empresa.

“A empresa espera que este incidente se resolva o mais rápido possível e conta com o trabalho das autoridades para obter a liberação dos funcionários e demais providências perante a legislação brasileira”, informou a Norte Energia, em nota

Por: Danilo Fariello
Fonte: O Globo

Deixe um comentário