Rondônia sanciona lei que autoriza o abate de cerca de 5.000 búfalos

O governador de Rondônia, Confúcio Moura (PMDB), sancionou na última quarta-feira (23) um projeto de lei que prevê o abate de cerca de 5.000 búfalos que vivem na região do Vale do Guaporé, próxima à fronteira com a Bolívia.

A Secretaria do Estado de Desenvolvimento Ambiental de Rondônia, um dos órgãos que buscaram a aprovação do projeto de lei, justifica o abate dos búfalos como sendo essencial para o “equilíbrio ecológico da região”.

Búfalos no vale do Guaporé, em Rondônia; projeto aprovado permite abate de animais
Búfalos no vale do Guaporé, em Rondônia; projeto aprovado permite abate de animais

Nos anos 1950, cerca de 60 búfalos foram levados da Ilha de Marajó até uma fazenda do Vale do Guaporé. Ao longo dos anos, a falta de controle sobre os animais resultou em uma explosão demográfica da espécie na área.

“São animais que vivem em manadas e comprometem seriamente a fauna e a flora da Reserva Biológica Guaporé”, diz Francisco de Sales, secretário-adjunto de Desenvolvimento. “Eles gostam de andar em áreas alagadas e isso prejudica demais a desova dos peixes e a aquicultura da região.”

Segundo Sales, os animais serão recolhidos em grandes currais, onde ficarão em quarentena, aguardando a realização de exames sanitários, para depois serem repassados a frigoríficos.

O Fórum Nacional de Proteção e Defesa Animal enxerga o projeto com ressalvas. Diretora técnica da entidade, Vania Nunes lamenta a solução adotada, mas diz que o abate pode ser considerado uma forma adequada de se lidar com o problema, desde que seja realizado de acordo com determinados parâmetros.

Para ela, o abate só deve feito se tiver acompanhamento de equipes do Ministério da Agricultura e a emissão de relatórios técnicos para a sociedade civil.

“Houve um descaso com esses animais durante muitos anos, uma omissão do próprio governo do Estado e de outros órgãos ambientais para que o número de animais crescesse tanto. Deveria haver uma responsabilização legal sobre essa omissão”.

Segundo Vania, com o abate, é possível diminuir a dimensão do problema. “Os búfalos estão fazendo o que era biologicamente esperado deles, reproduzindo-se e buscando comida”, disse ela. “O dano ambiental que eles provocam aumenta conforme aumenta o número de animais. Infelizmente, quem vai pagar por isso são os próprios animais, já que, chegando a este ponto, é necessário diminuir o prejuízo.”

Fonte: Folha de São Paulo

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*