Chesf procura bancos para viabilizar aportes em Belo Monte

Empresa deixou de realizar aportes na Norte Energia de R$ 155 milhões

A Chesf, subsidiária da Eletrobras e sócia na Norte Energia, está negociando linhas de crédito com bancos para conseguir realizar os aportes necessários que a empresa precisa fazer na obra da hidrelétrica de Belo Monte (11.233 MW), em construção no Pará. “A Chesf está procurando viabilizar os próximos aportes que ela tem que fazer. São aportes que correspondem a 15% da sua participação”, disse José Carlos de Miranda, presidente da companhia, em entrevista à Agência CanalEnergia, durante o 13º Encontro Nacional de Agentes do Setor Elétrico, realizado no Rio de Janeiro. A Chesf deixou de realizar aportes na Norte Energia de R$ 155 milhões, sendo R$ 90 milhões referentes a chamada de capital de março e o restante em maio. Miranda, porém, não confirmou os valores que a companhia precisaria aportar.

A Norte Energia ainda tem como sócios a própria holding Eletrobras, a Eletronorte, bem como fundos de pensões, empresas autoprodutoras de energia e companhias geradoras de energia como a Cemig, a Light e a Neoenergia. Esses sócios têm se desentendido por conta de 914 MW médios de energia de Belo Monte que está descontratada. A comercialização dessa energia é estratégica para a conclusão do projeto hidrelétrico, pois liberaria os R$ 2 bilhões restantes do financiamento com o BNDES. Os sócios privados exigem que a Eletrobras compre essa energia, porém a estatal resiste à ideia. Dessa forma, o tema está sendo tratado em um fórum de arbitragem.

“Certamente vai se solucionar o problema e vamos apresentar as garantias que o BNDES exige para liberar [o financiamento] e nós vamos ter esse dinheiro para concluir a obra de Belo Monte com sucesso”, disse Miranda. “Os sócios estão trabalhando para manter a usina em construção. Estamos trabalhando no sentido de ter os recursos necessários para a usina operar e ser concluída”, completou. Miranda ainda confirmou que o engenheiro José Ailton de Lima, diretor de Operação e até então representante da Chesf no Conselho de Administração de Belo Monte, deixou a companhia. No momento, Miranda acumula o cargo de diretor de operação da Chesf, enquanto o diretor de engenharia, Antônio Varejão de Godoy, passará a ser o novo representante no conselho de Belo Monte.

Por: Wagner Freire
Fonte: Canal Energia

Deixe um comentário