Corte de recursos leva Festival de Parintins a reduzir disputa a duas noites

Caprichoso e Garantido são agora Patrimônio Cultural do Amazonas de acordo com o decreto nº 33.684 (Divulgação)

O Festival Folclórico de Parintins, no Amazonas, vai sofrer alterações neste ano por causa do corte de verbas anunciado recentemente pelo governo do estado. Em comum acordo, as diretorias dos bois Caprichoso e Garantido decidiram que, das três apresentações do evento, apenas duas vão valer para a disputa.

“Nós nos preocupamos com a falta de recursos. O governo nos deixou em uma situação complicada ao anunciar que não iria repassar recursos”, afirmou o presidente da Associação Folclórica Boi-Bumbá Garantido, Adelson Albuquerque.

Ele lembrou que o anúncio do corte de verbas foi feito a 30 dias do festival e que, para se adequar à nova realidade e contar com outros tipos de patrocínio, o Garantido e o Caprichoso decidiram que haveria apenas duas noites de disputa.

Caprichoso em sua segunda noite no Festival Folclórico de Parintins (Lucas Silva)
Caprichoso em sua segunda noite no Festival Folclórico de Parintins (Lucas Silva)

Considerado uma das maiores festas populares do mundo, o Festival Folclórico de Parintins está na 51ª edição e será realizado nos dias 24, 25 e 26 de junho.

Neste ano, na terceira e última noite, os bois vão apenas se apresentar para o público, sem somar pontos para a competição. Os participantes vão usar os mesmos elementos das primeiras noites para economizar.

A Alvorada encerra na igreja matriz de Nossa Senhora do Carmo para pedir as bênçãos para mais o Festival Folclórico de Parintins (Paulo Sicsu/Divulgação)
A Alvorada encerra na igreja matriz de Nossa Senhora do Carmo para pedir as bênçãos para mais o Festival Folclórico de Parintins (Paulo Sicsu/Divulgação)

De acordo com Chico Cardoso, membro da Associação Cultural do Boi Caprichoso, essa mudança não vai tirar o brilho do evento. “Vamos fazer grandes espetáculos durante duas noites em competição e apresentar, na terceira noite, uma grande mostra dessa brincadeira folclórica e cabocla da Amazônia”, disse Cardoso. Com uma noite disputa a menos, será possível economizar “alguns mil reais” para manter a festa, que já foi vendida, e para que não se perca a qualidade e o brilho do evento, que se tornou mundialmente conhecido”, afirmou o representante do Caprichoso.

No último dia 20, o governador do Amazonas, José Melo, anunciou a suspensão do repasse de verbas para o setor de cultura, afetando mais de 30 eventos no estado, incluindo o Festival de Parintins. A intenção do governo é reduzir gastos para enfrentar a crise econômica que atinge o estado. A expectativa é gerar uma economia de RS$ 35 milhões, que poderão ser destinados à saúde.

Por: Bianca Paiva
Fonte: Agência Brasil – EBC
Edição: Nádia Franco

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*