Nota do movimento Xingu Vivo e do movimento Munduruku Ipereg Ayu sobre o massacre de Caarapo

O movimento Xingu Vivo para Sempre e o Movimento Munduruku Ipereg Ayu, movimentos que lutam contra a destruição dos povos, da floresta e dos rios da Amazônia, vêm através desta nota repudiar veementemente a covarde ação paramilitar realizada ontem, 14/06, no Mato Grosso do Sul, por fazendeiros representantes do agronegócio, contra o povo guarani- kaiowá.

Dezenas de veículos tipo pick-up, lotados de homens fortemente armados, invadiram o tekohá Tey Jusu, na região de Caarapó, atirando contra as famílias indígenas e assassinando Clodiode Aquileu Rodrigues de Sousa Guarani-kaiowá, 26 anos, agente de saúde e liderança indígena, além de ferirem a tiros ao menos seis pessoas, inclusive uma criança de doze anos, baleada no abdômen.

Responsabilizamos o Estado brasileiro, materializado nos poderes executivo, legislativo e judiciário, por mais este crime premeditado, verdadeira ação de genocídio que há muitos anos vem sendo cometido contra os povos indígenas, e em especial os guarani-kaiowá.

Exigimos a apuração de mais essa barbárie e reafirmamos que sempre estaremos ao lado dos povos indígenas do Brasil, os verdadeiros defensores da vida.

Acreditamos que os povos indígenas são os únicos que, com o seu conhecimento e sabedoria ancestrais, podem nos indicar o caminho para a superação dos graves problemas socioambientais, culturais, políticos e éticos que atualmente vivemos nesse país.

Viva os povos indígenas do Brasil

Viva o povo Guarani-Kaiowá Altamira e Jacareaganga/PA,

15 de junho de 2016 Movimento Munduruku Ipereg Ayu

Movimento Xingu Vivo Para Sempre

Deixe um comentário