Em pouco mais de um ano, Rio Acre enfrenta dois extremos históricos

Na manhã desta quarta-feira, 3, o Rio Acre registrou a marca de 1,42 metro, segundo aponta a medição da Defesa Civil Estadual.

Rio Acre com menor nível em 45 anos (Foto: Pedro Devani/Secom)
Rio Acre com menor nível em 45 anos (Foto: Pedro Devani/Secom)

Em razão deste momento em que o manancial apresenta o menor nível já marcado em 45 anos no mesmo período, o governo mantém seu foco na necessidade de preservar as condições do abastecimento da população, e todo o esforço possível tem sido feito nesse sentido.

Em um breve paralelo, no intervalo de pouco mais de um ano, Rio Branco e outras cidades do Acre encaravam a maior enchente já vivida em tempo recente.

Em março de 2015, eram registrados 18,40 metros. A situação afetou quase um terço da população da capital, levando mais de dez mil pessoas para abrigos públicos providenciados com toda a estrutura de assistência pelo governo e prefeitura.

Nesses dois extremos, em que episódios naturais revelam sua força, autoridades e instituições reforçam a importância de trabalhar em equipe, com a compreensão e parceria da população.

Por esse motivo, o Estado executa as medidas previstas no Plano de Contingência de Abastecimento e estuda novas ações, além de fazer o apelo às famílias quanto ao não desperdício de água e desmate.

De acordo com o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), o Acre já registrou entre julho e agosto o equivalente a 533 queimadas urbanas e rurais, o que agrava o cenário. Além do monitoramento feito pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) e demais órgãos ambientais, há operações de fiscalização em todo o estado.

Vale destacar que os responsáveis por crimes ambientais serão autuados, segundo determina a lei.

Fonte: Agência de Notícias do Acre

Deixe um comentário