Após 105 anos, fotos de índios feitas por Koch-Grünberg voltam para RR

Portfólio com fotos será devolvido terça-feira (13), na comunidade do Barro. Material reúne dados sobre história e costumes de índios do Norte do estado.

Imagens retratam costumes e hábitos de indígenas em 1911 (Foto: Reprodução/Acervo Koch-Grünberg)
Imagens retratam costumes e hábitos de indígenas em 1911 (Foto: Reprodução/Acervo Koch-Grünberg)

Uma cerimônia será realizada nesta terça-feira (13) na comunidade indígena do Barro, localizada no município de Pacaraima, ao Norte de Roraima, para marcar o retorno de fotos e vídeos feitos pelo etnologista alemão Theodor Koch-Grünberg em 1911.

As imagens registraram, há 105 anos, o surgimento da comunidade indígena, costumes e hábitos dos índios. As fotografias estavam no Museu de Berlim.

Segundo o professor da Universidade Federal de Roraima (UFRR) e gestor do projeto que trouxe as mais de 100 imagens de volta ao país, Carlos Alberto Medeiros, as fotos foram feitas por Koch-Grünberg no início do século passado.

“Esse material estava no museu de Berlim, na Alemanha, e a gente está devolvendo para os povos indígenas os registros do nascimento da comunidade do Barro”, disse Carlos Alberto.

Para o professor, o trabalho do alemão pode ser considerado como a mais completa pesquisa etnológica sobre as etnias indígenas do vale do Rio Branco, como era chamada atual região que hoje corresponde ao estado de Roraima.

Fotografias feitas pelo etnólogo alemão estavam no Museu de Berlim (Foto: Reprodução/Acervo Koch-Grünberg)
Fotografias feitas pelo etnólogo alemão estavam no Museu de Berlim (Foto: Reprodução/Acervo Koch-Grünberg)

As imagens produzidas pelo etnólogo também foram compiladas no ‘Portfólio Etnológico de Roraima’, que é desenvolvido desde 1996 por um grupo de professores da UFRR.

Além do material de Koch-Grünberg, o portfólio, conforme Medeiros, tem também uma síntese da história dos povos indígenas de Roraima com registros que vão da expedição ‘Terra de Makunaima’, em 1786, até a criação do território na década de 70.

O material intitulado ‘Registro dos Filhos de Makunaíma’ será oficialmente lançado na terça e entregue para as escolas indígenas das comunidades do Barro e do Surumu. Em seguida, todas as 255 escolas indígenas de Roraima receberão o portfólio.

“O material irá fortalecer a cidadania das etnias macuxi e wapixana e principalmente valorizar as noss

as figuras proativas da história, da cultura e dos saberes do vale do Rio Branco [como era chamado “, destacou Medeiros.

Um filme de aproximadamente 13 minutos feito por Koch-Grünberg também será exibido na cerimônia e um memorial histórico será inaugurado nas escolas. A comunidade também fará apresentações de danças típicas e servirá comidas tradicionais para celebrar o retorno dos registros.

Fonte: G1

Deixe um comentário