Congresso discute concessões florestais

Representantes de 25 países estarão reunidos por quatro dias em Porto Velho (RO) para trocar experiências sobre a gestão de florestas públicas.

Começou terça-feira (13) em Porto Velho (RO) o Congresso Internacional “Qual o futuro das concessões florestais e de modelos alternativos de gestão das florestas públicas”. O congresso vai até sexta-feira (16/09) e reúne representantes de governos, agências de cooperação internacional, empresas e organizações do terceiro setor de 25 países da América Latina, América do Norte, Ásia, África e Europa.

Na programação do congresso estão previstos debates sobre governança, arranjos contratuais, técnicas de manejo florestal sustentável, papel das comunidades locais e modelos alternativos para a gestão de florestas públicas. Serão apresentadas experiências em concessões empresariais e comunitárias de países como Indonésia, Malásia, Guiana, Guatemala, Congo, Gana e Gabão.

Na abertura do evento, o representante da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) no Brasil, Alan Bojanic, enfatizou o papel das concessões como ferramenta de desenvolvimento e destacou que a principal ideia do congresso é promover a troca de experiências entre os países.

“A experiência de cada país é diferente. Nesses dias poderemos conhecer o que está acontecendo no mundo e projetar o futuro das concessões. Um tema chave nesse debate é a governança, ou seja, ter uma boa legislação e capacidade de aplicar essa legislação”, afirmou Bojanic.

DESAFIO BRASILEIRO

O diretor geral do Serviço Florestal Brasileiro (SFB), Raimundo Deusdará Filho, afirmou que o maior desafio do governo federal é ampliar a área sob concessão e para isso será necessário enfrentar questões de infraestrutura e aprimorar instrumentos econômicos para tornar a atividade mais atrativa economicamente.

“Precisamos que os estados também abracem essa iniciativa. As concessões estão na agenda prioritária do Ministério do Meio Ambiente, não só como um mecanismo para combater a exploração ilegal, mas também para gerar emprego, renda e promover o desenvolvimento social, respeitando o direito das comunidades tradicionais”, acrescentou.

VISITA DE CAMPO

Na quarta-feira, os participantes do evento terão a oportunidade de conhecer o funcionamento da primeira concessão implementada no Brasil na Floresta Nacional de Jamari. A concessão está em operação há seis anos e já gera benefícios sociais e recursos para o estado e para os municípios de Porto Velho, Cujubim, Candeias do Jamari e Itapuã do Oeste.

PANORAMA

Segundo a FAO, 76% das florestas do mundo são públicas e tem aumentado a proporção de florestas públicas gerenciadas por modelos privados: 3% em 1990 para 15% em 2010.

De acordo com relatórios regionais da agência, em nove países selecionados na África, América Latina e Sudeste Asiático existem atualmente, pelo menos, 122 milhões de hectares de floresta tropical sob concessões madeireiras, cobrindo 14% das florestas públicas nos países estudados.

CONGRESSO

O congresso “Qual o futuro das concessões florestais e de modelos alternativos de gestão das florestas públicas?” é uma realização da FAO, em parceria com o Serviço Florestal Brasileiro (SFB), Organização Internacional de Madeiras Tropicais (ITTO), Centro Internacional para Pesquisa Florestal (CIFOR) e Centro de Cooperação Internacional em Pesquisa Agronômica para o Desenvolvimento (CIRAD).

Fonte: MMA

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*