Farinhas ‘saborizadas’ ganham espaço na culinária amazônica

Feitas com manteiga, alho, cebola ou coco, elas agradam consumidores. Várias opções são encontradas em feiras de Manaus.

Várias opções de farinha são vendidas em feiras de Manaus (Foto: Ive Rylo/G1 AM)v
Várias opções de farinha são vendidas em feiras de Manaus (Foto: Ive Rylo/G1 AM)v

Uarini, d’água, ovinha, branca ou amarela. Além desses tipos de farinha comumente vendidos em mercados de Manaus, os consumidores manauaras têm outras opções da iguaria que estão se popularizando. É possível encontrar, em feiras livres da capital amazonense, opções de farinhas “saborizadas” que acrescentam um toque especial aos pratos que levam esse derivado da macaxeira.

Entre os sabores disponíveis estão: farinha de cebola; pimenta vermelha; alho; coco com cebola. As mais marcantes são as de pimenta e de alho. Entre as mais vendidas está a feita com coco. Outra que agrada bastante o paladar é uma torrada com manteiga.

A policial civil Luziele Batista, de 52 anos, diz que já elegeu sua opção favorita. Ela incluiu as opções saborizadas em seu cardápio cotidiano.

“Trabalho no [município de] Careiro, quando volto para Manaus, aqui [na feira] é parada obrigatória. Só essa farinha de pimenta acompanhada de um peixe e um limão, não precisa de mais nada”, disse a policial antes de comprar na banca do feirante Wilke de Oliveira Sena, de 44 anos.

Wilke trabalha de terça-feira a domingo vendendo várias opções de farinha em um box na Feira do Ceasa, na Zona Sul de Manaus. Ele conta que o perfil dos consumidores é variado e que seus produtos já foram levados para São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e cidades do nordeste.

“Tenho clientes que moram ao lado de outra feira, mas vem aqui comigo comprar farinha. Por isso sempre busco manter o padrão, sou exigente com os nossos fornecedores para oferecer um produto de qualidade. Graças a Deus conseguimos fidelizar muitos clientes”, disse Wilke.

Segundo o feirante, a ideia de vender farinhas saborizadas nasceu há 7 anos e partiu de seu irmão, o produtor Alexandre José Oliveira Sena, de 42 anos. Alexandre comercializa as farinhas na Feira da Bethânia, no bairro de mesmo nome, Zona Sul de Manaus.

“Depois que experimentam, as pessoas vêm aqui e compram todos os sabores. Levam até a uarini com pimenta, nem que seja para fazer uma brincadeira com os amigos ou presentear a sogra”, brincou Wilke.

Os produtos comercializados pelos irmãos são oriundos de municípios do interior do Amazonas e Pará, e ainda de Cruzeiro do Sul, no Acre. O preço médio do kg das farinhas especiais custa R$ 13.

Ele acrescenta que clientes de zonas diferentes procuram pelas opções oferecidas. “Tenho clientes fiéis de bairros distantes como Ponta Negra, Japiim, Cidade Nova”, disse.

As opções saborizadas podem substituir a tradicional farinha de mandioca em receitas como a ‘Farofa de Piracuí com Banana Pacovã’, ou o ‘Pirarucu de Casaca’.

Por: Ive Rylo e Leandro Tapajós
Fonte: G1

Deixe um comentário

Um comentário em “Farinhas ‘saborizadas’ ganham espaço na culinária amazônica

Fechado para comentários.