Maurão e Confúcio conhecem projeto de integração do pirarucu e cacau

Trata-se da integração entre a criação do pirarucu, considerado o “bacalhau da Amazônia”, e o cacau, fruto que tem ainda grande importância para a renda de muitas famílias de Rondônia.

Produção com qualidade, apenas com o uso de produtos naturais e sempre primando pelo respeito à natureza. Com esse objetivo, o produtor rural Antônio Deusemínio de Almeida há 30 anos trabalha com a agroecologia, sempre buscando aplicar técnicas inovadoras de produção, sem o uso de produtos químicos.

No final de semana, o presidente da Assembleia Legislativa-ALE/RO, Maurão de Carvalho (PMDB), e o governador Confúcio Moura (PMDB) visitaram um projeto inovador que está sendo desenvolvido na propriedade que fica às margens da BR 364, em Ouro Preto do Oeste.

Trata-se da integração entre a criação do pirarucu, considerado o “bacalhau da Amazônia”, e o cacau, fruto que tem ainda grande importância para a renda de muitas famílias de produtores rurais em Rondônia.

“Desenvolvi essa técnica, batizada de ‘piracau’, que aproveita a água que utilizamos para criar os pirarucus, com seus dejetos, para a adubação do solo e cultivo do cacaueiro”, explicou Antônio, que é técnico de carreira da Ceplac.

Segundo ele, a média de produção do cacaueiro em sua propriedade, sem o uso de agrotóxicos, chega a até três quilos por pé de cacau. “A média de Rondônia, no cultivo tradicional, é de 600 a 700 gramas por pé de cacau. Utilizo desde cinzas, farinha de ossos e componentes orgânicos na plantação”, relatou.

Confúcio observou que o desafio é produzir mais, sem degradar o meio ambiente. “Aqui, vemos técnicas simples que dão um resultado muito bom. Ações como esta precisam ser multiplicadas e difundidas”, observou.

Já Maurão defendeu que modelos orgânicos sejam estimulados e levados para o máximo de produtores, especialmente os pequenos. “Quem produz em pequenas áreas, precisa de apoio técnico para ampliar a sua capacidade de produção, sem agredir o meio ambiente e gerando mais renda para a família”, destacou.

Fonte: O Nortão
Com informações da ALE/RO

Deixe um comentário