No AP, mais de 50 famílias são retiradas de área de preservação

Ação foi realizada pela Delegacia de Meio Ambiente (Dema), em Macapá. Vários barracos de madeira construídos no local foram derrubados.

Mais de 50 famílias foram retiradas na quarta-feira (31) de uma Área de Preservação Permanente (APP) localizada no bairro Pacoval, Zona Norte de Macapá. A ação foi realizada pela Delegacia de Meio Ambiente (Dema), que desmontou vários barracos de madeira que teriam sido construídos no local.

De acordo com o delegado Sávio Pinto, a desocupação foi determinada por ordem judicial. Quase todas as árvores da área foram cortadas para a construção das moradias, e por isso, os responsáveis serão indiciados, pois trata-se de um crime ambiental.

“Todas as áreas baixas da cidade, tem uma proteção do código ambiental do estado e na lei de crimes ambientais. Isso é uma violência, e as pessoas serão identificadas, a perícia criminal será feita e os responsáveis serão indiciados”, explicou.

As famílias viviam em barracos improvisados com madeira. Os moradores começaram a retirar móveis, objetos pessoais e o que podiam salvar. Alguns também desmontaram as casas para reaproveitar os materiais. Eles não ofereceram resistência, informou a polícia.

Os moradores reclamam que a área está há muitos anos abandonada, mas mesmo assim a polícia fez a retirada. “Esse quintal está sem ninguém há mais de 20 anos, cheio de mato e muitos ladrões se escondiam aqui. Lamento que as famílias sejam retiradas”, reclamou o pedreiro José Barros.

A autônoma Joana Matos diz que optou por invadir a área por não ter tido o cadastro aprovado em programas para moradias do Governo Federal. “Sempre inscrevo, mas nunca sou selecionada. Moro de aluguel e com a crise financeira, está difícil de se manter. Por isso vim para a invasão”, disse.

Por: Jéssica Alves
Fonte: G1

Deixe um comentário