Senadores da Amazônia avaliam processo de impeachment

Dos 27 parlamentares que representam a Amazônia no Congresso Nacional, 20 votaram pela saída de Dilma

Por 61 votos a 20, os senadores decidiram nessa quarta-feira(31) pelo afastamento definitivo de Dilma Rousseff da Presidência da República. Sete votos a mais do que o mínimo exigido. Em uma segunda votação, foram mantidos os direitos políticos da ex-presidenta. Todos os 81 senadores votaram.

Para a senadora pelo PMDB do Tocantins, Kátia Abreu, a decisão contra Dilma foi injusta. “Infelizmente vejo este resultado com muita tristeza. Não houve crime de responsabilidade. Não é uma votação justa”.

Já Romero Jucá, do PMDB de Roraima, alega que a decisão dos senadores foi dentro do esperado. “Tivemos um resultado expressivo. O Senado tomou a decisão correta. Construir um novo caminho para todos os brasileiros”.

Dos 27 parlamentares que representam a Amazônia no Congresso Nacional, 20 votaram pela saída de Dilma.

Dois senadores que na etapa de admissão do processo de impeachment na Casa votaram contra, mudaram o voto. São eles Telmário Mota, do PDT de Roraima, e João Alberto Souza, do PMDB do Maranhão.

Já os peemedebistas Eduardo Braga, do Amazonas, e Jader Barbalho, do Pará, que não tinham se manifestado na fase de aceitação do pedido por problemas de saúde, compareceram à votação e se posicionaram a favor do afastamento definitivo de Dilma Rousseff.

Ainda no começo da sessão, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowiski, aceitou um requerimento de senadores aliados de Dilma e realizou duas votações no plenário.

A primeira, analisou apenas se a petista deveria perder o mandato de presidente da República. Ela então foi condenada sob a acusação de ter cometido crimes de responsabilidade fiscal.

Logo depois, os senadores analisaram se Dilma deveria ficar inelegível por oito anos a partir de 2019 e se deveria ficar impedida de exercer qualquer função pública. Nesta votação, os senadores mantiveram o direito da ex-presidenta de ocupar função pública.

Também são destaques do Jornal da Amazônia 1ª Edição desta quinta-feira (1º):

– Justiça suspende operação de Belo Monte;

– Fatores climáticos influenciam produção de grãos e fazem PIB agropecuário cair 2%.

O Jornal da Amazônia 1ª Edição vai ao ar, de segunda a sexta-feira, às 7h45, na Rádio Nacional da Amazônia, uma emissora da Empresa Brasil de Comunicação.

Fonte: Radio Nacional da Amazônia

Deixe um comentário