Vale terá que pagar mensalmente R$ 3 milhões para três aldeias Xikrin

TRF entendeu que aldeias foram afetadas pela mineração na região. Casos de má-formação e fetal foram comprovadas em estudos.

Índios da etnia Xikrin sofrem com a contaminação do rio Cateté, no sudeste do Pará. (Foto: Evandro Corrêa/OLiberal)
Índios da etnia Xikrin sofrem com a contaminação do rio Cateté, no sudeste do Pará. (Foto: Evandro Corrêa/OLiberal)

O Tribunal Regional Federal da 1ª Região ordenou que a empresa Vale deposite mensalmente R$ 3 milhões para as três aldeias Xikrin afetadas pelo empreendimento Onça Puma, de extração de níquel, na região sudeste do Pará. A reportagem do G1 Pará entrou em contato com a Vale e espera resposta.

A partir do próximo dia 19 de setembro, de acordo com a decisão do desembargador Antonio Souza Prudente, a Vale terá que depositar mensalmente R$ 1 milhão para cada uma das aldeias Xikrin afetadas pela Onça Puma: O-odjã, Dudjekô e Cateté. Os valores deverão ser repassados até que a Vale cumpra as obrigações de compensação ambiental relativas ao empreendimento, nunca efetivadas.

A decisão atende pedido das associações indígenas Xikrin e teve parecer favorável do Ministério Público Federal. No mês passado, Xikrin e MPF assinaram um termo de ajuste de conduta que definiu exatamente como serão aplicados os recursos da compensação ambiental da Onça Puma.

As três aldeias Xikrin da região do Cateté, no sudeste do Pará, entre as cidades de Ourilândia do Norte, Parauapebas e São Félix do Xingu, foram cercadas por quase todos os lados por uma das atividades econômicas mais poluidoras, a mineração. São 14 empreendimentos no total, extraindo cobre, níquel e outros minérios, todos de propriedade da Vale.

Um dos empreendimentos, de extração e beneficiamento de níquel, chamado Onça Puma, em sete anos de atividade contaminou com metais pesados o rio Cateté e inviabilizou a vida dos cerca de 1300 Xikrin. Casos de má-formação fetal e doenças graves foram comprovados em estudos.

Fonte: G1

Deixe um comentário

Um comentário em “Vale terá que pagar mensalmente R$ 3 milhões para três aldeias Xikrin

  • 17 de setembro de 2016 em 15:54
    Permalink

    O CRIME da Vale contra a população Xikrin – contaminando rio, que é fonte de vida – não é somente um caso de indenização: é caso de polícia. E veja que a Vale já é reincidente em tais crimes. O anterior foi a Barragem de Mariana. Mais quantos crimes serão cometidos para que haja uma punição criminal? Autoridades…!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.