Grupo de Pesquisa da UEA promove palestra sobre arte indígena, no AM

Evento debate relações entre imagem, dança e espaço na Amazônia. Palestra ocorre no dia 18 de outubro, às 15h, no auditório da ESAT.

Palestra sobre arte indígena ocorre no dia 18 de outubro, em Manaus (Foto: Divulgação/Feministas de quinta)
Palestra sobre arte indígena ocorre no dia 18 de outubro, em Manaus (Foto: Divulgação/Feministas de quinta)

 

Discutir as relações entre imagem e personagem, dança e espaço na Amazônia e nos Andes centrais. Esse é o objetivo da palestra “Imagem-personagem, Imagem-acontecimento: dança, espaço e alteridade na América do Sul Indígena”, ministrada pelo museólogo, antropólogo Dr. Aristoteles Barcelos Neto. A palestra será realizada no dia 18 de outubro, às 15h, no Auditório do 2º andar da Escola Superior de Artes e Turismo (ESAT), da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), localizada na Rua Leonardo Malcher, nº. 1728 – Praça 14. A palestra é gratuita e aberta para toda a comunidade.

O coordenador do Diretório de Pesquisa Tabihuni, Luiz Davi Gonçalves, enfatiza que o professor Aristoteles tem uma rica experiência com os povos ameríndios. “Principalmente, com relação à arte indígena. A palestra vai contribuir para que os artistas tenham uma percepção mais profunda sobre a arte indígena e como os grupos de teatros e dança podem lidar com esse tema”, salienta o coordenador.

Durante o evento será debatido como coletivos andinos e amazônicos objetificam personagens rituais e lhes dão um sentido de permanência cosmopolítica. As análises tomam como exemplos os rituais de apapaatai dos wauja do Alto Xingu, as “fiestas patronales” de Huaraz, Paucartambo e Puno nos Andes peruana.

O evento é uma realização do Núcleo de Pesquisas e Experimentações das Teatralidades Contemporâneas e suas Interfaces Pedagógicas (CNPQ/UEA).

Sobre o palestrante
Museólogo e antropólogo, atua na área de etnologia dos povos indígenas das Terras Altas e Baixas da América do Sul, com ênfase em suas artes, rituais e cosmologias. Desde 2007 é professor e coordenador de pós-graduação na Sainsbury Research Unit for the Arts of Africa, Oceania and the Americas (University of East Anglia, Reino Unido). Membro do Centro de Estudos Mesoamericanos e Andinos e do Grupo de Antropologia Visual, ambos da Universidade de São Paulo, e do International Council of Museums (ICOM-UNESCO).

Tabihuni
O TABIHUNI existe há dois anos e é um grupo de pesquisa e experimentações das teatralidades contemporâneas e interfaces pedagógicas vinculadas a plataforma CNPq. O objetivo é proporcionar acesso à população as pesquisas teóricas (artigos) e práticas sobre antropologia da performance e a performance-art, tendo como referência o corpo na arte contemporânea e suas interfaces artísticas e interculturalidades, entre a comunidade acadêmica da Universidade do Estado do Amazonas e artistas da cidade de Manaus.

 

Fonte: G1 AM

 

Deixe um comentário