Diálogo da Palma: iniciativa estimula debate para produção sustentável de óleo de palma

De acordo com a organização Conservação Internacional, o Brasil tem um grande potencial para se tornar um modelo sustentável de extração do óleo de palma no mundo. Com o objetivo de ampliar esse conhecimento, a CI-Brasil se uniu à Abrapalma (Associação Brasileira de Produtores de Óleo de Palma) para realizar a primeira oficina de criação do Diálogo da Palma, evento realizado no último dia 25, na sede da Embrapa Amazônia Oriental, em Belém, que debateu os desafios e oportunidades na cadeia produtiva da palma sustentável.

O Diálogo da Palma é uma discussão participativa que visa promover a produção sustentável a partir da geração e integração de informações científicas e socioeconômicas, em parceria com universidades e centros de pesquisas, empresas, organizações não-governamentais e associações locais de produtores. Cerca de 30 pessoas participaram do encontro, entre elas porta-vozes de entidades de pesquisa, agricultores familiares, representantes do terceiro setor, atores governamentais e setor privado. O evento teve como objetivo promover o entendimento e a colaboração entre todos os integrantes da cadeia produtiva da palma do estado do Pará e formalizar a criação da plataforma. Foram registradas propostas sobre os princípios, os temas e a governança do diálogo.

“Nossa atuação será a de apoiar a articulação dos representantes da cadeia da palma, facilitando a construção de um ambiente favorável para o diálogo e com resultados efetivos para que a atividade da palma seja realizada no Brasil gerando benefícios econômicos com proteção da natureza e inclusão social”, disse Rodrigo Medeiros, vice-presidente da CI-Brasil.

A Abrapalma apoiará a articulação junto ao setor empresarial, facilitando o desenvolvimento de planos de ação para um modelo de produção sustentável da palma. Unindo essas forças, a intenção é que o Diálogo da Palma proporcione aos atores envolvidos a oportunidade de atuação em conjunto em prol da produção sustentável, com inclusão socioeconômica dos agricultores familiares e conservação da biodiversidade, por meio de ações efetivas e gerando benefícios para o território e a sociedade em geral.

A sustentabilidade na cadeia de óleo da palma faz parte da estratégia de atuação da Conservação Internacional para a Amazônia e do CEB – Centro de Endemismo Belém -, e da região nordeste do estado do Pará (uma das regiões de maior biodiversidade do estado, com quase 90% da produção nacional de óleo de palma – atualmente o óleo mais consumido no mundo – concentrada nessa área).

Desde 2007, a CI-Brasil vem atuando no CEB e essa atividade colabora também para o desenvolvimento agrícola da região. Com os dados recolhidos será possível formar a base para a produção sustentável, que combina a produção de palma e as aspirações socioeconômicas das comunidades locais, criando condições para a conservação da biodiversidade e aumentando o bem-estar das pessoas.

Para o presidente da Abrapalma, Marcello Brito, o Diálogo da Palma traz para a mesa as discussões de melhoria e valorização do setor, através de uma relação transparente, honesta e direta entre produtores, agricultores familiares, sindicatos, movimentos sociais, ONGs e academia. “Em pouco tempo, esperamos dar um novo rumo à cultura da palma no Brasil, sempre pautados em conceitos de sustentabilidade socioeconômica e ambiental, de forma que a verdade e as boas práticas possam superar os mitos. Isso em benefício de todos os participantes dessa importante cadeia de produção no Pará e no Brasil”.

Fonte: Jornal Dia a Dia

Deixe um comentário