Operação desmonta três serrarias ilegais no Pará

Elas são suspeitas de retirarem ou adquirirem madeira de duas reservas extrativistas federais e de uma Terra Indígena.  Dois mil m3 de toras foram destruídos e dois caminhões apreendidos

operacao

Operação conjunta, promovida pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Ministério Público Federal (MPF), Polícia Federal, Ibama, Polícia Militar e Exército, desbaratou três serrarias que funcionavam sem licença ambiental no Km 50 da BR-422 (Transcametá), no município de Baião, no Pará.

De acordo com Lino Viveiros, coordenador da operação pelo ICMBio, durante a ação, além do desmonte das serrarias, também foram destruídos dois mil metros cúbicos de madeira em tora e apreendidos dois caminhões que transportavam cerca de 60 metros cúbicos de madeira serrada.

A operação Transcametá II, realizada na terça-feira (22), é a continuidade da Transcametá I, promovida em novembro de 2015, que resultou no desmonte de duas serrarias na mesma localidade. A articulação entre as instituições tem o objetivo de combater a exploração ilegal de madeira no entorno das reservas extrativistas Arióca-Pruanã e Ipaú-Anilzinho, situadas ao longo da BR-422.

As serrarias alvos da operação atuavam sem qualquer autorização dos órgãos competentes para a atividade madeireira. Não possuíam comprovação de origem das madeiras ou plano de manejo e eram investigadas por suspeita de retirarem ou adquirirem madeira das duas reservas extrativistas, assim como da Terra Indígena Trocará, dos Assurinís.

Com a realização da operação Transcametá II, apoiada com recursos financeiros do Programa Áreas Protegidas da Amazônia (Arpa), o ICMBio conclui mais uma série de ações direcionadas para a proteção dos territórios extrativistas na região da BR-422, fazendo-se necessário agora o seu monitoramento.

Fonte: ICMBio

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.