Jiboia rara é recuperada após furto ao Museu da Amazônia, em Manaus

Animal havia sido furtado por jovem de 18 anos. Polícia suspeita de que animais seriam levados para outras cidades do AM.

Jiboia foi recuperada após mais de uma semana (Foto: Isis Capistrano/G1 AM)
Jiboia foi recuperada após mais de uma semana (Foto: Isis Capistrano/G1 AM)

A jiboia arco-íris, um dos dois animais furtados do Museu da Amazônia (Musa), foi recuperada na manhã deste sábado (7) em Manaus. Ela foi levada por um jovem de 18 anos, que chegou a expor à venda a serpente considerada rara. Ele foi detido na Delegacia Especializada em Meio Ambiente (Dema). As investigações continuam para recuperar a segunda jiboia.

De acordo com o Delegado Samir Freire, titular da Delegacia Especializada em Meio Ambiente (Dema), as investigações tiveram ajuda de populares que deram informações sobre o suspeito. “Apuramos inicialmente que ela teria sido furtada por um viciado em drogas. Ele já conhecia o museu porque participou de um projeto quando era adolescente no local. Estamos aprofundando se ele agiu sozinho, mas não vamos dar detalhes para não atrapalhar as investigações”, disse.

A polícia suspeita de que os animais seriam levados para outras cidades do Amazonas. O animal foi encontrado em uma caixa e sofreu pequenos arranhões adquiridos por conta de manuseio incorreto. Segundo o delegado, o suspeito chegou a dar várias versões de como faria a venda do animal. Ele estava com a serpente nas imediações do bairro Cidade de Deus.

“Queremos salientar aos populares que não comprem os animais, senão podem responder criminalmente. Qualquer pessoa que receber oferta deve denunciar à Dema”, disse.

O diretor operacional do Museu Roberto Moraes está feliz com o retorno do animal. “Ficamos satisfeitos com a ação da Dema. O que me impressionou foi que a investigação teve ajuda de visitantes do Musa para recuperar o animal porque eles admiram nosso trabalho. Estamos torcendo para que a outra jiboia seja encontrada”, disse.

O homem foi detido e levado para a Dema e será indiciado pelo crime de furto de animal. A polícia ainda continua investigando o paradeiro da outra cobra.

As serpentes foram furtadas no dia 29 de dezembro por volta de 14h30. O suspeito teria se aproveitado do intervalo das visitas para invadir o laboratório experimental onde ficam 22 exemplares de serpentes peçonhentas e não peçonhentas.

Os animais pertencem à Fundação de Medicina Tropical. Eles estão sob cuidado do Musa e são utilizados diariamente para educação ambiental, especialmente com alunos de escolas públicas.

Fonte: G1

 

Deixe um comentário