Uepa oferece pós-graduação para professores indígenas

Curso de Docência em Educação Indígena Escolar oferece 100 vagas. Inscrições estão abertas e vão até o dia 25.

A Universidade do Estado do Pará (Uepa) lançou na sexta-feira (20) o processo seletivo para a primeira turma da especialização em Docência em Educação Indígena Escolar. As inscrições estão abertas até a próxima quarta-feira (25) e a íntegra do edital está disponível no site da Uepa.

Das 100 vagas ofertadas para a especialização, 72 vagas são reservadas aos egressos do curso de Licenciatura Intercultural Indígena, que formou sua primeira turma em 2016, e 28 são destinadas aos licenciados indígenas de outros cursos. Caso as vagas reservadas aos egressos da Uepa não sejam preenchidas, elas serão destinadas a outros interessados.

As inscrições são gratuitas e devem ser solicitadas exclusivamente pelo email especializacaoindigenauepa@gmail.com. O candidato às vagas deve enviar a documentação solicitada, o currículo lattes e uma carta de Intenção, conforme as orientações do edital.

O processo seletivo terá duas fases: a análise da carta de intenção, de caráter eliminatório, e análise do currículo, que determinará a classificação dos candidatos. A comissão responsável pelo processo de seleção ressalta que a formatação do conteúdo enviado no ato da inscrição deve seguir à risca o que foi determinado pelo edital.

O resultado final tem previsão de divulgação para o dia 31 de janeiro, com o início das aulas previsto para o mês de março. As aulas para o povo Tembé serão realizadas no campus da Uepa em São Miguel do Guamá; para o povo Gavião no campus de Marabá e para o povo Surui Aikewara na escola Sawarapy Surui, em São Geraldo do Araguaia.

O curso

Segundo a Uepa, o objetivo principal do curso é propiciar ao professor indígena um instrumental teórico-prático para ampliar sua compreensão sobre a dinâmica da educação escolarizada e a relação com a educação indígena, integrando os saberes necessários ao trabalho pedagógico, para assim construir ferramentas que fundamentem os aspectos centrais de uma educação escolar indígena diferenciada, específica, bilíngue, autônoma e intercultural.

Fonte: G1

Deixe um comentário