Enchente do Rio Jordão desabriga famílias indígenas no interior do Acre

Nível do rio subiu na noite de terça (21); manancial não tem medição.  Famílias na cidade precisaram subir os móveis para água não molhar.

Cerca de 10 a 15 famílias indígenas foram retiradas de dentro de casa após as águas do Rio Jordão, localizado na cidade de mesmo nome, interior do Acre, invadirem o bairro Kaxinawá. Além dos indígenas, outros moradores precisaram levantar os objetos para evitar que a água os danificassem. O nível do rio começou a subir na noite de terça-feira (21) e apresentou vazante na manhã desta quarta (22).

O Corpo de Bombeiros do Acre informou que o manancial não tem régua e a leitura é feita pela estação telemétrica da Agência Nacional de Águas (ANA), porém, a estação não está funcionando. Já o comandante da Defesa Civil do Acre, coronel Carlos Batista, disse que o prefeito da cidade avisou sobre a enchente repentina do rio, mas informou que a situação estava sob controle.

A Eletrobras Distribuição Acre informou que precisou desligar o fornecimento de energia elétrica de 17 unidades comsumidoras do Ramal Santa Júlia após a enchente do rio. O órgão ressaltou que o serviço deve ser normalizado, quando o local estiver seguro.

O G1 tentou contato com o prefeito Elson de Lima Farias, mas não obteve sucesso até a publicação desta reportagem.

O técnico de enfermagem Marlindo Mendonça foi um dos voluntários que ajudou a retirar as famílias indígenas e a levantar os objetos de alguns moradores.

Ele acrescentou que a prefeitura disponibilizou carros e barcos para retirar os indígenas. Alguns foram levados para um abrigo e os demais para casas de parentes.”Ficamos até às 5h desta quarta [22] ajudando as famílias. O nível das águas começou a baixar. Subiu ontem [terça-feira, 21] por volta das 19h e começou a baixar. Acho que já baixou entre 40 a 50 centímetros”, revelou.

Autor: Do G1 AC

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*