Organizações indígenas processam Peru por falhar na defesa das tribos

Organizações indígenas do Peru estão a processar o Estado peruano por falhar em proteger as tribos, nomeadamente as isoladas, de invasões e da exploração do petróleo, divulgou hoje a organização não-governamental Survival International.

“A Associação Interétnica de Desenvolvimento da Selva Peruana (AIDESEP) está a levar o Ministério da Cultura do país aos tribunais por falhar na sua obrigação legal de mapear e criar cinco novas reservas indígenas e de proteger os povos isolados”, referiu o comunicado da ONG de defesa dos indígenas.

De acordo com a nota da Survival International, “outra entidade indígena, a Organização Regional dos Povos Indígenas do Oriente (ORPIO), também está a processar o Governo peruano pela ameaça da exploração de petróleo”.

“As tribos isoladas são os povos mais vulneráveis do planeta, mas as autoridades peruanas parecem considerar que os lucros provenientes das petrolíferas são mais importantes do que as terras, vidas e direitos humanos das pessoas”, afirmou o diretor da Survival, Stephen Corry, citado no comunicado.

Segundo Corry, “o fracasso em criar reservas indígenas não é somente uma catástrofe ambiental, mas pode também levar ao extermínio de povos inteiros”.

De acordo com a ONG, em 2007, o Peru deu à petrolífera canadiana Pacific E&P a concessão para explorar petróleo em Yavari Tapiche, uma reserva indígena que está ainda por ratificar pelas autoridades peruanas, na fronteira isolada amazónica, na região entre o Brasil e o Peru.

A AIDESEP tem reivindicado a criação da reserva há 14 anos e a Survival International está a liderar a campanha global pelo direito das tribos isoladas de determinar seus próprios futuros.

“Muitos temem que os indígenas isolados na área possam ser dizimados pela violência de forasteiros e doenças às quais não têm resistência”, sublinhou a Survival International na nota.

A ONG acrescentou que “os operários de petrolíferas podem entrar em contacto com indígenas isolados e o processo exploratório envolve milhares de detonações subterrâneas que assusta e afugenta a caça dos indígenas”.

A tribo dos Matsés vive nos lados brasileiro e peruano da fronteira. Aqueles que vivem próximos da reserva proposta no Peru têm protestado contra o Governo devido à falha deste em conter a exploração de petróleo.

Fonte: Notícias ao Minuto

Deixe um comentário