Agronegócio é o dono das terras do Brasil

Apesar de discursos recorrentes de que “há muita terra para pouco índios” e dos atuais projetos que tentam diminuir as áreas de conservação no país, é o agronegócio que ocupa a maior parte do território nacional, segundo dados do Atlas Agropecuário lançado pelo Imaflora, GeoLab da Esalq/USP e a KTH da Suécia.

53% da malha fundiária é privada no Brasil, sendo 28% destas consideradas grandes propriedades, ou seja, maiores do que 15 módulos fiscais. As áreas protegidas somam 27% – incluindo terras indígenas – e os assentamentos apenas 5%. Os outros 10% são terras não destinadas e 5% foram classificados como “outros”. O bioma Amazônia concentra 98% das áreas de conservação, localizadas principalmente nos estados do Amazonas e Pará, regiões de fronteira agropecuária.

O projeto que deu origem ao Atlas criou uma base de dados georreferenciada da malha fundiária de todo o território nacional. Englobando aproximadamente 6,7 milhões de polígonos, utilizando 20 categorias de bases de dados oficiais incluindo, por exemplo, as áreas protegidas nacionais e estaduais, as bases de imóveis e de assentamentos do INCRA e os polígonos de imóveis do CAR (Cadastro Ambiental Rural), que juntas recobrem 80% do país.

Segundo o professor Gerd Sparovek do GeoLab a “o Atlas fornecerá informações e análises para uma melhor compreensão da agropecuária brasileira e poderá apoiar decisões e a formulação de políticas públicas e privadas para o setor”.

Acesse aqui o Atlas da Agropecuária Brasileira

Fonte: Amazônia.org

Deixe um comentário

2 comentários em “Agronegócio é o dono das terras do Brasil

  • 9 de junho de 2017 em 11:14
    Permalink

    “[…]é o agronegócio que ocupa a maior parte do território nacional[…]”, sendo responsável pela maior parte da destruição de florestas, poluição da atmosfera e dos oceanos. Todo o gás metano produzido pela agropecuária é quase 90% mais nocivo que o dióxido de carbono produzido pelos veículos . Porém, não é de interesse da mídia e de todas as organizações ambientalistas informar a verdadeira causa da destruição do planeta.

  • 27 de março de 2017 em 19:45
    Permalink

    Não é por acaso ser o Ministro da Justiça é defensor intransigente dos grandes negócios da terra, em detrimento da demarcação das terras indígenas. Junto a ele, o Ministro da Agricultura é um outro pecuarista, ponta de lança do grupo do boi no Parlamento. Pior de tudo é o silêncio das universidades, dos partidos de oposição, parecendo que tudo está muito bem. Defendo o levante do povo contra essa onda de devastação dos interesses do povo brasileiro. A esperança é nossa arma de ver um dia isso tomar novo rumo.

Os comentários estão desativados.