Bióloga mineira registra caneleiro-de-guiana e outras aves no Amazonas

Caneleiro-da-guiana fotografado no Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Foto: Priscilla Diniz/VC no TG)

Priscilla Diniz fotografa desde criança e mantém um acervo de 530 aves fotografadas, entre elas o anambé-pombo e a mãe-da-lua-gigante.

A mineira Priscilla de Jesus Diniz tem 25 anos e mora em Manaus (AM) há 4. Formada em biologia, tem uma ligação muito forte com a fotografia da natureza desde criança.

Os primeiros cliques foram feitos com uma Kodak de filme quando ainda era pequena. Priscilla gostava de fotografar as aves que frequentavam os bebedouros no quintal de casa.

mãe-da-lua-gigante (Foto: Priscilla Diniz/VC no TG)
Mãe-da-lua-gigante (Foto: Priscilla Diniz/VC no TG)

A bióloga tem por hábito fotografar espécies diariamente. Hoje, ela mantém um acervo de 530 aves fotografadas, sem contar répteis, mamíferos e invertebrados.

A mineira já viajou vários quilômetros e cruzou rios atrás de certas espécies, enquanto outras simplesmente apareceram à sua frente. “fotografar animais é sempre desafiante e um tanto imprevisível”, diz.

Priscilla acredita que para fotografar animais é necessário aprofundar o conhecimento sobre as espécies não focando apenas nas características físicas. “A grande variedade de conhecimentos está por trás de cada fotografia”, afirma.

Em uma de suas observações, a bióloga fotografou um caneleiro-de-guiana dentro do Instituto Nacional de Pesquisa da Amazônia. Essa espécie é rara e geralmente habita florestas subtropicais ou tropicais úmidas de baixa altitude.

Além dessa espécie, registrou também um anambé-pombo em Iranduba (AM) e uma mãe-da-lua-gigante em Manaus (AM) durante a noite.

Fonte: G1

Deixe um comentário