Jovens reivindicam que suas escolas utilizem energia solar

Enquanto lá fora o presidente Donald Trump dá as costas para todas as evidências científicas de que o mundo precisa abandonar as energias poluidoras em prol de fontes limpas e renováveis.  No Brasil um grupo de jovens diz que é necessário abraçar a transição para energias renováveis, pois só através disso as cidades podem se transformar em um lugar dos sonhos para as presentes e futuras gerações.

Durante boa parte de 2016, jovens de todo o Brasil realizaram uma consulta com mais de 5 mil pessoas, durante a campanha Cidade dos Sonhos. Uma das pautas que emergiram com força foi a de energias 100% renováveis, e que hoje é promovida pelo Engajamundo, uma das organizações que ajudou a realizar as consultas do ano passado. Hoje, há pouco mais de um ano, tem promovido a utilização de energia solar em escolas do norte e nordeste do país (Salvador, Belém e Fortaleza) com a campanha “SOLução”.

Energia é um dos elementos essenciais para o desenvolvimento e frente às fontes convencionais de produção energética temos o uso de fontes renováveis e limpas que estão aí para uso complementar minimizando os impactos ambientais a curto e longo prazo. Trazendo assim, a perspectiva de se integrar homem e natureza de maneira harmônica. Porém, em paralelo, para que o novo cenário energético seja real, é preciso investimento em infraestrutura, mão de obra especializada e principalmente disseminar informação sobre energia 100% renováveis.

A média anual de temperatura, em Belém, oscila entre 27 e 26 ºC chegando a 32 ºC em alguns períodos uma região que tem muita incidência de raios solares o que facilita a utilização dessa fonte energética. Os jovens perceberam que é necessário abandonar o sistema energético atual, baseado em combustíveis fósseis – carvão, petróleo e gás natural – que polui a água, o ar e afeta a saúde humana, além de causar impactos nos ecossistemas, interferindo assim no objetivo de ter cidades limpas e habitáveis a longo prazo “As hidrelétricas que estão em atividade já cumprem o seu papel. Cabe agora, o compromisso com um futuro limpo e uma visão estratégica que permita incentivos tecnológicos e governamentais para atingirmos a tão esperada revolução energética” explica João Raphael, da ONG Engajamundo.

Durante esse final de semana (23) jovens da ONG Engajamundo começaram a pôr a mão na massa e capacitaram 100 estudantes, em uma escola de Belém – EEEFM CÔNEGO BATISTA CAMPOS, bairro Marambaia-, para serem protagonistas da transição de energias limpas através da atuação política de ações e uma petição pedindo que a escola seja solarizada. Pois, apesar de vender para o mundo a imagem de que nossa matriz energética é limpa, o Brasil praticamente dobrou a quantidade de emissões de gases do efeito estufa nesse setor desde a primeira conferência das Nações Unidas sobre mudanças climáticas, em 1995. Ter a juventude como protagonista dessa transição é mais do que necessário, pois são esses que irão sofrer com as consequências, que já são palpáveis, no presente e futuro do planeta!

Para mais informações, acesse: http://bit.ly/engajasolar

Site da campanha Cidade dos Sonhos: https://cidadedossonhos.org/

Fonte: Engajamundo

Deixe um comentário