Em Belo Horizonte, Instituto Mamirauá lança livro sobre conservação na Amazônia e produtos para público infantil

O Instituto Mamirauá lança, na próxima semana, o livro “Protagonistas: relatos de conservação do Oeste da Amazônia”, durante a EXPOT&C, exposição realizada anualmente pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), na 69ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), em Belo Horizonte (MG). O livro, com 176 páginas, tem o objetivo de divulgar práticas sustentáveis de conservação de recursos naturais, desenvolvidas pelo Instituto Mamirauá, unidade de pesquisa do MCTIC e financiadas pelo Fundo Amazônia.

No primeiro capítulo, o leitor pode viajar pela Amazônia, suas principais características sociais e ambientais. Uma Amazônia que apresenta as faces de uma importante região, seus ecossistemas, suas florestas e suas paisagens. O item também discorre sobre a dinâmica das enchentes e das secas na região e a rica biodiversidade sobre uma floresta tropical úmida, além de sua influência no comportamento dos animais. Uma dinâmica que não para e sobre a qual a ciência não para de descobrir novas espécies, da fauna ou da flora. Esse capítulo foi escrito pelo engenheiro florestal Claudioney Guimarães, educador ambiental do Instituto Mamirauá.

No capítulo seguinte, o texto fala do processo de implementação do projeto “Mamirauá: Conservação e Uso Sustentável da Biodiversidade em Unidades de Conservação”, chamado de BioREC. É um dos vários projetos que o Instituto Mamirauá vem desenvolvendo ao longo de quase 20 anos de atuação nas Reservas de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá e Amanã, em parceria com as comunidades locais. O projeto desenvolve ações de manejo florestal comunitário, manejo de agroecossistemas, educação ambiental, proteção ambiental e pesquisas em ecologia florestal, monitoramento e recursos florestais não madeireiros.

No capítulo três, os textos são descritos com base em um retrato, principalmente, das populações ribeirinhas da região do Médio Solimões, que se beneficiam ou executam parte das ações propostas. São 12 personagens, dentre moradores de unidades de conservação, além de pesquisadores e técnicos do Instituto Mamirauá. Esse capítulo foi escrito pela jornalista Eunice Venturi, assessora de comunicação do Instituto Mamirauá.

Em seu prefácio, a diretora de Manejo e Desenvolvimento do instituto Mamirauá, avaliou o positivamente o resultado da publicação: “Não poderia deixar de destacar, também, o entusiasmo e a motivação demonstrados pela equipe técnica e pelas lideranças locais quando falam do trabalho e da importância da natureza para suas vidas. É contagiante, renova o ânimo para continuar na luta, pois os desafios continuam enormes”.

Aprendendo sobre a várzea e a terra-firme

O Instituto Mamirauá também distribui, durante a EXPOT&C, o jogo de quebra-cabeça “Ecossistemas da Amazônia: várzea e terra-firme”. São dois desenhos produzidos pelo jovem tefeense José Augusto C. de Oliveira, um da várzea e outro da terra-firme. O desenho também apresenta informações com as principais características biológicas de cada um desses ecossistemas amazônicos. Cada quebra-cabeça é composto por 35 peças. O material foi também produzido no âmbito do projeto BioREC, financiado pelo Fundo Amazônia, gerido pelo Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

“Os quebra-cabeças várzea e terra firme, desenvolvidos pelo Instituto Mamirauá, trazem algumas informações sobre os dois dos principais ecossistemas da região amazônica, esses representam uma parte significativa do Bioma Amazônia. Esses jogos são importantes como materiais didáticos, porque colaboram para ao desenvolvimento de habilidades de forma interativa, ajudam a promover a capacidade de socialização e integração, o raciocínio lógico, e ainda facilitam a construção e compreensão de conceitos relacionados aos temas trabalhados”, disse Claudioney Guimarães, educador ambiental do Instituto Mamirauá.

“Muito prazer, eu sou a onça-pintada”

Todo mundo já ouviu falar da onça-pintada, a rainha das florestas brasileiras. Agora, as crianças vão poder conhecer mais a fundo o maior felino do continente americano em “O Macaqueiro Kids – Onça-pintada”. O informativo, dedicado ao público infantil, traz informações textos, imagens e um jogo especial sobre esse fascinante animal e é um dos lançamentos do Instituto Mamirauá na EXPOT&C.

O pesquisador e líder do Grupo de Pesquisa em Ecologia e Conservação de Felinos na Amazônia do Instituto Mamirauá, Emiliano Esterci Ramalho, conta que os pequenos leitores também vão aprender sobre “os hábitos da onça por meio das descobertas dos pesquisadores do Instituto Mamirauá, que investigam, há mais de dez anos, a ecologia da onça-pintada nas florestas inundáveis da Amazônia”. A publicação foi produzida com recursos da Fundação Gordon and Betty Moore.

A versão digital de “O Macaqueiro Kids – Onça-pintada” já está disponível para download em http://www.mamiraua.org.br/omacaqueirokids77.

Além das publicações, durante a EXPOT&C, o Instituto Mamirauá apresenta projetos desenvolvidos na instituição. A visitação é gratuita.

Serviço:

19 de julho, às 17h: Lançamento do livro “Protagonistas: relatos de conservação do Oeste da Amazônia”, na EXPOT&C

A versão digital da publicação já está disponível para download em www.mamiraua.org.br/protagonistas

De 17 a 22 de julho, de 08 às 18h: EXPOT&C, no campus da Universidade Federal de Minas Gerais.

Por: Eunice Venturi
Fonte: Instituto Mamirauá

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*