Brasil, Bolívia e Peru debatem integração para proteger Amazônia

Gestores em sustentabilidade e turismo do Brasil, Bolívia e Peru reuniram-se na semana passada, na cidade boliviana de Cobija, para discutir estratégias de conservação da Amazônia. Diálogo debateu como é possível utilizar de forma responsável os recursos naturais de áreas protegidas do bioma amazônico, beneficiando as comunidades locais sem destruir o meio ambiente.

Gestores em sustentabilidade e turismo do Brasil, Bolívia e Peru reuniram-se na semana passada, na cidade boliviana de Cobija, para discutir estratégias de conservação da Amazônia. Diálogo debateu como é possível utilizar de forma responsável os recursos naturais de áreas protegidas do bioma amazônico, beneficiando as comunidades locais sem destruir o meio ambiente.

Entre as ações sugeridas para promover o gerenciamento transfronteiriço efetivo das riquezas da Amazônia, especialistas citaram a criação de um inventário de ecoturismo e de produtos da biodiversidade, como as paisagens da floresta. Outras iniciativas incluem a promoção de estágios, treinamentos e trocas de funcionários para criar redes de troca de informações. Gestores também abordaram a importância de vincular atividades à pesquisa acadêmica.

Promovido pelo Projeto Regional de Integração de Áreas Protegidas do Bioma da Amazônia (IAPA), o encontro na Bolívia ocorreu nos dias 20 e 21 de setembro.

Para Tiago Juruá, chefe da Reserva Extrativista Cazumbá, em Iracema, no Brasil, um dos desafios do IAPA é atravessar os limites que dividem politicamente para aprender mais com a natureza. “Sabemos que não existe essa separação por fronteiras e isso significa aprender a pensar na paisagem como um tudo”, enfatizou.

Também presente, Claricas Guerra, chefe da Direção Regional de Comércio Assuntos Externos e Turismo da região peruana de Madre de Dios, ressaltou a importância do planejamento. “Este diálogo também destacou a iniciativa de, no futuro, pensarmos em um corredor turístico que envolva os três países com seus maiores atrativos naturais, como forma de gerar renda e preservar de forma abrangente os recursos das áreas protegidas”, pontuou.

O IAPA é financiado pela União Européia, coordenado pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e implementado em conjunto com a WWF, a Convenção Internacional para a Conservação da Natureza (UICN), o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente e a Rede Latino-americana de Cooperação Técnica em Parques Nacionais, outras Áreas Protegidas, Flora e Fauna Silvestres (REDPARQUES).

Fonte: ONU

Deixe um comentário