Suspeito de matar britânica no AM morre após ser baleado por grupo rival, diz polícia

Atleta britânica Emma Kelty foi morta enquanto acampava durante excursão pelo Rio Solimões.

Um dos homens suspeitos de assassinar a atleta britânica Emma Kelty morreu na manhã desta quarta-feira (20), no hospital do município de Coari, no interior do Amazonas. O homem, de 24 anos, tinha sido atingido por dois tiros na perna direita e no abdômen horas antes de ser encaminhado para a unidade de saúde na noite desta terça-feira (19). A polícia suspeita de um grupo rival. Ao todo, sete pessoas teriam participado da morte da esportista e três ainda são procurados.

A britânica praticava canoagem no Rio Solimões, entre as cidades de Coari e Codajás, quando foi vítima de um latrocínio (roubo seguido de morte). A informação foi confirmada pela Polícia Civil na tarde da terça-feira.

“O suspeito morreu no Hospital em Coari, na manhã de hoje após trocar tiros com grupo rival que queria roubar os pertences roubados da inglesa”, disse o delegado geral adjunto Ivo Martins.

De acordo com informações repassadas pela polícia, o homem foi preso próximo a um campo de futebol, no bairro do Pêra. “Nossa guarnição foi informada por populares que ouviram disparos e gritos no local. Após buscas, encontramos o suspeito gritando e ferido”, disse o comandante do 5º Batalhão de Polícia Militar, major Pedro Moreira.

Assim que foi preso, o homem informou que foi alvejado por um grupo rival. “Ele informou que baleado por bandidos rivais que queriam roubar os pertences e valores que ele [o suspeito] havia roubado da estrangeira”, disse o major.

Objetos roubados

O suspeito informou que havia ficado com uma câmera fotográfica da inglesa. “Não localizamos o objeto, mas soubemos que outros objetos que ele roubou, ele empenhou em uma boca de fumo. Inclusive, prendemos o chefe da boca de fumo que interceptou os pertences a inglesa”, disse o major.

Esportista britânica Emma Kelty tinha 43 anos (Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução)
Esportista britânica Emma Kelty tinha 43 anos (Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução)

Segundo investigações, o homem também vendeu o celular e o drone da inglesa por R$ 100 para outro interceptador no município. Já foram apreendidos dois adolescentes e um adulto, envolvidos no latrocínio da esportista.

As investigações do caso estão sendo conduzidas pelo titular da Delegacia Regional de Coari, Barradas Júnior junto a Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

As buscas pelo corpo continuam e são realizadas pela Marinha em parceria com mergulhadores do Corpo de Bombeiros.

O Governo Britânico informou ao G1, nesta terça-feira, que está em contato com as autoridades e “dando apoio à família da britânica que morreu no Brasil”.

Últimas postagens

“Uma mudança dramática em apenas um dia, mas o rio é assim mesmo. Cada quilômetro é diferente, e só porque uma área é ruim não significa que…”. Esta é a última postagem, no Twitter, da atleta britânica que desapareceu no rio Solimões. Foi ao ar na madrugada de quarta-feira, 13 de setembro. A atleta usava a rede social para documentar a viagem pela região.

A britânica foi desestimulada a seguir o trajeto sozinha. Chegou a fazer piada da situação em um tuíte no último dia 10: “Em Coari ou perto (a 100 quilômetros acima do rio) meu barco será roubado e eu serei assassinada. Legal”.

Segundo escreveu em um blog, o plano era descer o rio “sem apoio ou assistência”. A postagem foi feita em 9 de agosto, quando ela ainda estava em Iquitos, no Peru. No fim do texto, disse que estava ciente das dificuldades, mas que não tinha nenhum arrependimento.

Fonte: G1

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*