Índios e policiais entram em confronto na Câmara

Indígenas kaingang, da região sul do país, e policiais legislativos entraram em confronto no final da manhã desta quarta-feira (18) na porta de um dos anexos da Câmara dos Deputados.

A confusão começou quando, armado com uma lança, um índio correu em direção à porta de vidro do anexo 3 da Câmara. Outros índios arremessaram pedras e objetos.

A polícia legislativa reagiu com bombas de efeito moral e spray de pimenta.

Um policial disparou spray no momento em que havia uma criança diante da porta.

Um índio foi detido, segundo a polícia, por jogar pedras. Os indígenas negam e dizem que ele foi detido sem razão.

Os índios foram à Câmara por causa de uma audiência pública sobre produção agrícola indígena. O encontro foi promovido pela FPA (Frente Parlamentar Agropecuária).

Eles são contra o arrendamento de terras indígenas. Dizem que isso permitiria a posse da terra por não-indígenas.

“Nós somos oposição a esse arrendamento, porque ele é da bancada ruralista. Se regularizar, nós vamos perder o nosso direito a terra garantido na Constituição, afirma o líder Kretã Kaingang.

Ao menos uma porta de vidro e três carros estacionados diante do prédio foram quebrados.

Em nota, a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB) repudiou a “truculenta decisão da Frente Parlamentar Agropecuária –bancada ruralista– de realizar,[…] uma audiência pública para supostamente ‘debater a produção agrícola indígena’. […]”.

Fonte: Folha de São Paulo

Deixe um comentário