Encontro da Unesco abre inscrições para workshop sobre gastronomia e biodiversidade

Especialistas de renome internacional irão debater mercado, gastronomia e biodiversidade no Encontro das Cidades Criativas da Unesco. Inscrições são gratuitas e online.

O Encontro das Cidades Criativas da Unesco abriu nesta terça-feira (31) inscrições para o workshop “O que a biodiversidade oferece para gastronomia e o que a gastronomia pode fazer para a biodiversidade?”, que foca no debate sobre mercado, gastronomia, sustentabilidade e biodiversidade. O workshop será conduzido por sete especialistas de diversas áreas, com renome internacional. São 130 vagas disponíveis a pessoas que atuem na área de gastronomia e temas afins abordados no evento, promovido pela Prefeitura de Belém e Governo do Estado.

Realizado pela primeira vez nas Américas, o Encontro desenvolve um formato inédito em Belém, com eventos da programação serão abertos ao público. Em suas cinco edições anteriores, em cidades da Europa e Ásia, o Encontro foi voltado exclusivamente ao Comitê da Unesco.

“Na capital do Pará, a organização apostou na importância de incluir estudantes, pesquisadores, cozinheiros e público em geral no evento internacional, gratuitamente”, diz João Klautau, Coordenador do Cidades Criativas da Unesco em Belém.

Programação

O workshop abre com Bráulio Ferreira de Souza Dias, que abordará o tema “Conservação e uso: o quadro internacional atualizado”. Ele é PhD em Zoologia pela Universidade de Edimburgo no Reino Unido e também dirige o Programa Nacional de Diversidade Biológica (Pronabio) e o Programa de Biodiversidade e Recursos Genéticos, ambos da Secretaria de Biodiversidade e Florestas do MMA. Souza Dias é professor do Departamento de Ecologia e da pós-graduação nessa área da Universidade de Brasília (UnB). Participou da preparação do Plano Estratégico para a Biodiversidade 2011-2020 e foi Secretário de Biodiversidade e Florestas no Ministério do Meio Ambiente. Juntou-se à Secretaria das Nações Unidas em Biodiversidade.

“Com raízes na pré-história: nativo, exótico, selvagem, domesticado?” é tema da abordagem de Charles Roland Clement. Ele é pesquisador titular do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, e professor colaborador da Universidade Federal do Amazonas e da Universidade Federal de Santa Catarina. Tem experiência na área de Genética, com ênfase em Recursos Genéticos, atuando principalmente nos seguintes temas: Pupunha (Bactrisgasipaes), origem e domesticação de cultivos amazônicos, ecologia histórica, recursos genéticos amazônicos e fruteiras amazônicas.

Fernando Jares Martins apresenta o painel “Com raízes na história: diversidade como recurso”. Jornalista e publicitário, sendo redator especializado em gastronomia e turismo, desde 1985, Jares Martins Integrou o júri dos Restaurantes Recomendados da ADVB/Pará e do júri do Prêmio Chef Paulo Martins do Festival Ver-o-Peso da Cozinha Paraense dos anos 2012, 2013 e 2014.

Etnobotânico, antropólogo e cineasta , Glenn H. Shepard apresenta o painel “A etnobotânica e o alimento: tradições e fronteiras”. Seu trabalho se concentra nos povos indígenas da Amazônia. Realizou trabalhos de campo com diversos grupos nativos da América Latina, Ásia e Oriente Médio pesquisando xamanismo, plantas medicinais e conhecimento ambiental tradicional. Elaborou e participou de vários filmes, incluindo o documentário do Discovery Channel premiado com o Emmy, “SpiritsoftheRainforest”. É pesquisador em Etnologia Indígena no Museu Paraense Emílio Goeldi em Belém.

César de Mendes promove o debate sobre o tema “Do conhecimento ribeirinho aos mercados”. Mendes possui Mestrado na área de Engenharia de Alimentos pela Unicamp e tornou-se empresário, criando a “Chocolates Demendes”, especializada em chocolates exóticos, elaborados com cacau nativo e especiarias encontradas diretamente na Floresta Amazônica.

O workshop encerra com a participação de Roberto Smeraldi, que falará sobre “O desafio do uso e a cadeia de valor: rumo ao Centro Global de Gastronomia e Biodiversidade”. Como jornalista e autor, publicou ensaios e livros sobre ambiente, desenvolvimento, empreendimentos sustentáveis, Amazonas, silvicultura, viagens e artes culinárias. É co-fundador e vice-presidente do Instituto Atá, em parceria com chef paulista Alex Atala.

Fonte: G1

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*