Mostra com filmes do Pará lança 14ª edição de festival de cinema independente do AP

‘No Movimento da Fé’ é um dos fimes que serão exibidos na mostra ‘Ver-O-Filme’ (Foto: Divulgação/Fernando Segtowick)

‘Ver-O-Filme’ será no dia 25 de novembro. Serão divulgadas no evento informações sobre o 14º FIM, que terá exibição de 51 filmes.

Cinco curtas-metragens produzidos no Pará serão exibidos durante uma mostra na Zona Sul de Macapá, no dia 25 de novembro. O evento marca o lançamento da programação do 14º Festival Imagem-Movimento (FIM), que acontece anualmente em dezembro na capital do Amapá. A mostra, chamada de “Ver-O-Filme”, faz parte do projeto Clube de Cinema. Serão exibidas as seguintes produções: “Lado B – O Rock Paraense dos Anos 80”, com direção de Janine Valente; “No Movimento da Fé”, de Fernando Segtowick; “Noite Suja”, de Allyster Fagundes; “Hacker”, de Rafael Silva; e “A Batalha de São Bráz”, de Adrianna Oliveira (confira a sinopse de cada filme no fim desta reportagem).

O esquenta também terá apresentação de um pequeno show do grupo Os Pinducos, que tem no setlist sucessos dos ritmos regionais carimbó (Pará) e marabaixo (Amapá).

14º FIM acontecerá de 3 a 9 de dezembro em Macapá (Foto: FIM/Divulgação)

O 14º FIM acontecerá entre os dias 3 e 9 de dezembro, em Macapá, com entradas gratuitas em espaços ainda a serem divulgados.

Foram confirmados 51 filmes durante a programação, sendo a maioria nos estilos documentário e ficção. Dez produções genuinamente amapaenses serão exibidas no festival durante a mostra “Fôlego!”. Parte delas será selecionada para concorrer ao 3º Prêmio Gengibirra, no valor de R$ 500.

“Muitas pessoas que nos ajudam na organização começaram a ter contato com a produção cultural dentro do festival, é uma oportunidade de adquirir diversas habilidades. Então o FIM tem como proposta não só de dar visibilidade às produções amapaenses, mas ser uma janela de exibição para o audiovisual independente brasileiro”, disse uma das organizadoras do FIM, Jamaile Gurjão.

Sinopses

Lado B – O Rock Paraense dos Anos 80
Direção: Janine Valente
Ano: 2015
Classificação indicativa: 12 anos
Sinopse: A cena musical vivida atualmente traz consigo a herança do primeiro “boom” do rock independente vivida em Belém entre as décadas de 80 e 90, sendo precursora de um grande movimento que continua a influenciar o rock produzido na cidade atualmente. “Lado B – O Rock paraense dos anos 80” resgata memórias e histórias de bandas e pessoas que vivenciaram essa época.

No Movimento da Fé
Direção: Fernando Segtowick
Ano: 2013
Classificação indicativa: livre
Sinopse: Segundo domingo de outubro, a procissão em homenagem à Nossa Senhora de Nazaré reúne mais de 2 milhões de pessoas nas ruas de Belém Entre milhares de voluntários, estão três homens: um guarda de Nazaré, um soldado do exército e um integrante da Cruz Vermelha. Com muito sacrifício, fé e dedicação, eles se preparam para realizar a maior festa religiosa do mundo.

Noite Suja
Direção: Allyster Fagundes
Ano: 2017
Classificação indicativa: 16 anos
Sinopse: Com olhar sobre o movimento drag queen paraense “Noite Suja”, o documentário conta como nasceu o projeto homônimo, quem são os idealizadores e como esse se tornou o cenário para o surgimento de uma nova geração de drag queens em Belém. Ao mesmo tempo, o trabalho busca retratar o discurso político dos personagens, a relação com a sexualidade, questões de gênero e a forma como transitam entre o feminino e o masculino.

Hacker
Direção: Rafael B. Silva
Ano: 2017
Classificação indicativa: 16 anos
Sinopse: Bruno é um vlogger polêmico que se envolve em um perigoso escândalo político ao revelar na internet provas recebidas através de uma pessoa desconhecida. Sem saber quem enviou as provas e o tamanho do perigo que corre, Bruno terá que descobrir uma forma de se salvar antes que o encontrem. Em pleno dia de jogo de Copa do Mundo, ele terá que jogar pela própria vida.

A Batalha de São Bráz
Direção: Adrianna Oliveira
Ano: 2015
Classificação indicativa: 14 anos
Sinopse: Durante o dia, o mercado de São Brás, no bairro do mesmo nome, em Belém, é uma feira no entorno de um prédio histórico do século 20. Mas, durante os sábados à noite, o lugar se transforma ao reunir jovens de diferentes bairros da cidade em torno de um único objetivo: saber quem é o melhor MC da noite. Sob o grito de “tem que ser sagaz, tem que ser sagaz, pra rimar na batalha de São Bráz”, esses jovens se reúnem em uma das manifestações mais fortes da cultura hip hop: a batalha de rap.

Por Fabiana Figueiredo

Fonte: G1 Amapá

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*