Travestis e trans poderão incluir nome social na carteirinha de ônibus, no AP

Ivana Costa, presidente do grupo de Mulheres Travestis e Transexuais do Estado do Amapá (Foto: John Pacheco/G1)

Interessados devem procurar o Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros. Para incluir o nome social, usuário deverá pagar uma taxa de R$ 48,75.

O uso do nome social na emissão de carteiras de meia passagem e passe livre em Macapá já pode ser solicitado por travestis e transexuais. Os interessados devem procurar o Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros do Amapá (Setap) que está fazendo a mudança, inicialmente, para usuários que já possuem cadastro no sistema de bilhetagem.

Para incluir o nome social, o usuário deverá pagar uma taxa de R$ 48,75 e garantir que a mudança seja feita, informou o diretor de bilhetagem do Setap, Artur Sotão. Segundo ele, o serviço está sendo feito após o órgão acatar uma recomendação do Ministério Público do Estado (MP-AP).

“Estamos cobrando esse valor para o estudante que já tem o cadastro de meia passagem ou passe livre na capital, pois será feita uma nova carteira para ele, já com o nome social. A recomendação veio do Ministério Público e estamos acatando para atender a este público que há tempos solicita este direito”, ressaltou.

A pedagoga Ivana Costa é transexual e presidente do grupo de Mulheres Travestis e Transexuais do Estado do Amapá. Para ela, a inclusão do nome social nas carteiras de passagem de ônibus em Macapá é mais uma conquista da categoria, que já adquiriu o direito em outros documentos, como cartão do Sistema Único de Saúde (SUS) e carteira de identidade social.

Por Jéssica Alves
Fonte: G1 AP, Macapá 

 

 

 

 

Deixe um comentário