Indígenas em Rondônia correm risco de extermínio, alerta MPF

Sonora: “Por ser líder dos indígenas, já recebi ameaças de ligações anônimas, só que até agora não conseguimos rastrear de onde vieram essas ligações anônimas de ameaças de morte mesmo.”

Adriano Karipuna é liderança indígena e relata o que tem passado por, junto com seus parentes, defender a Terra Indígena Karipuna, nos municípios de Porto Velho e Nova Mamoré, de madeireiros ilegais, grileiros e garimpeiros.

O Ministério Público Federal em Rondônia enviou recomendação à Funai para que tome providências em relação à área.

Para o órgão, há risco de genocídio, como informa o procurador Federal Joel Bogo.

Sonora: Temos históricos de violência: um policial rodoviário federal foi morto, um agente da força nacional de segurança pública foi morto, os invasores atiraram contra o próprio helicóptero da polícia… então se os invasores eles têm essa atitude de enfrentamento contra a própria polícia, imagina contra os indígenas né, então, a situação de vulnerabilidade desses grupos indígenas é de fato preocupante.

De acordo com o procurador, essa foi uma das áreas indígenas mais desmatadas em 2017.

O MPF recomendou que a Funai apresente um plano emergencial e um plano de fiscalização permanente, mas, segundo o procurador Joel Bogo, o órgão indigenista apresenta a falta de orçamento como principal empecilho para desenvolver as ações.

A Terra Indígena Karipuna é uma área tradicionalmente ocupada e já regularizada pela Funai.

A assessoria da Funai informou enviou os questionamentos da reportagem à Procuradoria Federal Especializada e aguarda uma posição sobre o caso.

Fonte: Radioagência Nacional

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*