Pecuária sustentável na Amazônia é a revelação do Prêmio ÉPOCA Empresa Verde

A Pecuária Sustentável da Amazônia (Pecsa) ganhou na categoria especial de Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS). O prêmio destacou iniciativas de 13 empresas brasileiras

Vando Telles, diretor executivo da Pecsa, segura os troféus do Empresa Verde (Foto: Rogério Cassimiro)

Uma empresa de pecuária na Amazônia foi a grande revelação do Prêmio ÉPOCA Empresa Verde. A Pecuária Sustentável da Amazônia (Pecsa) ganhou na categoria especial de Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS). Ela provou que é possível aumentar os lucros da pecuária sem mais desmatar nenhuma árvore da Amazônia. Funciona assim, o produtor oferece a terra, as instalações e o gado e a empresa entra com tecnologia de ponta, gestão financeira e investimentos em melhorias. De acordo com um dos fundadores da Pecsa, Vando Telles, a empresa foi criada há dois anos tendo como princípio garantir a longevidade e a rentabilidade da pecuária, cuidando da floresta. “Trabalhamos com terra, animais e pessoas, com o desafio de fazer uma pecuária mais sustentável”, diz Vando. A Pecsa foi uma das 13 empresas destacadas na noite de premiação.

Os vencedores foram revelados nesta segunda-feira (4). As 13 empresas com as melhores ações ambientais receberam um troféu como destaque do ano (conheça todas elas abaixo). Entre elas, seis foram premiadas nas categorias especiais. Foram elas a Natura (que ganhou Empresa Verde – Indústria), a CPFL (Empresa Verde – Serviços), a Fibria (Mudanças Climáticas – Indústria), a EDP Energia (Mudanças Climáticas – Serviços) e o Itaú Unibanco (Finanças Verdes). Além da Pecsa na categoria ODS. A iniciativa, resultado de uma parceria entre ÉPOCA e a consultoria PricewaterhouseCoopers (PWC), aconteceu pelo décimo ano.

A cerimônia contou com uma mesa sobre “O sinal Verde dos ODS – Como os objetivos ambientais podem ajudar os sociais”. Os debatedores foram Carlo Pereira, secretário executivo do Pacto Global; Rachel Biderman, diretora executiva da World Resourses Institute Brasil (WRI); e Sérgio Besserman, diretor do Jardim Botânico do Rio de Janeiro.

Na edição do prêmio deste ano, 145 empresas se inscreveram on-line. Na primeira fase do prêmio, as instituições foram avaliadas a partir de um questionário respondido, sobre temas relacionados com a sustentabilidade. Na segunda fase de julgamento, as empresas foram selecionadas por um Conselho de cinco profissionais que são referência na área. São eles: José Roberto Marinho, vice-presidente do Grupo Globo e presidente da Fundação Roberto Marinho; Sergio Besserman, economista; Luis Gylvan Meira, professor da Universidade de São Paulo (USP); Rachel Biderman, diretora da WRI Brasil.

Conheça os vencedores do Prêmio ÉPOCA Empresa Verde 2017:

Empresa Verde – Indústria Natura

Empresa Verde – Serviços CPFL

Mudanças Climáticas – Indústria Fíbria

Mudanças Climáticas – Serviços EDP Energia

Finanças Verdes – Itaú Unibanco

Objetivos de Desenvolvimento Sustentável  – Pecsa

Prêmio ÉPOCA Empresa Verde – Destaques

Unilever
Natura
Toyota
ArcelorMittal
CPFL
Energia Basf
Duratex
Fíbria
Neoenergia
Novelis
Itaú Unibanco
Pecsa
EDP Energia

Por: Desirêe Galvão
Fonte: Blog do Planeta/ Revista Época

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*