Índios Waimiri-Atroari autorizam estudo prévio para liberação do Linhão de Tucuruí

Construção do linhão vai unir Roraima ao Sistema Interligado Nacional de energia. Parte do estado é abastecido por energia da Venezuela.

Carta assinada por lideranças indígenas autorizou estudo básico ambiental (Foto: Arquivo pessoal)

Lideranças indígenas assinaram nessa quinta-feira (15) uma carta que autoriza a elaboração de um plano ambiental de estudo para construção do Linhão de Tucuruí, que deve ligar Roraima ao Sistema Interligado Nacional (SIN).

Atualmente o estado depende da energia elétrica originária da Venezuela, além de termelétricas que funcionam como suporte quando o país vizinho interrompe o fornecimento para Roraima.

O senador Romero Jucá (MDB-RR) anunciou a assinatura na tarde de ontem após conversas com o presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai).

Ao G1 ele disse que a autorização foi um passo fundamental para que a obra seja feita e que o preblema energético de Roraima seja sanado.

“Nós vamos ter a partir dessa obra, uma energia confiável, barata e que vai dar condições de gerar empregos e desenvolvimento, fazendo com que possamos atrair indústrias e tudo mais”, explicou o senador.

A autorização do estudo ocorre após dois dias de reuniões em Manaus e na terra indígena com representantes da Funai e lideranças Wamiri-Atroari, por onde o linhão deve passar para chegar a Boa Vista.

Segundo o general Ribeiro de Freitas, presidente nacional da Funai, o estudo será dividido em avaliações técnicas e topografia.

“O trabalho será realizado pela empresa responsável pela obra, acompanhada de uma equipe interdisciplinar composta também por representantes da Funai”, explicou Franklimberg.

Além de autorizar o plano básico ambiental, na carta, o líder indígena Paruwe Mario, que preside a Associação Comunidade Waimiri-Atroari, explicou que o plano de trabalho foi apresentado em todas as comunidades da reserva.

No próximo dia 25 deste mês, uma nova reunião deve ser realizada para que possíveis adequações ao estudo e ao cronograma das atividades sejam feitas pelos indígenas.

Energia em Roraima

Atualmente, Roraima é o único estado brasileiro fora do Sistema Interligado Nacional.

Em 2013, a Justiça Federal decidiu suspender a implantação da linha de transmissão de energia elétrica entre Manaus e Boa Vista. A medida atende um pedido do Ministério Público Federal do Amazonas (MPF/AM).

O MPF alega que a linha de transmissão passa irregularmente pela reserva indígena Waimiri-Atroari. O Ministério Público também afirma que não houve estudos prévios para a implantação da linha. Os índios não aceitavam a obra e alegavam que ela possa causar impactos ambientais, além de colocar em risco a sobrevivência das comunidades.

A energia elétrica que abastece Roraima vem de termelétricas e linhas de transmissão da Venezuela, país que faz fronteira com o estado. A energia importada é considerada cara e o abastecimento apresenta falhas e interrupções constantes.

Fonte: G1

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.