Programação vai aprimorar técnicas de produção de tambaqui em tanque-rede

Embrapa Amapá oferta capacitação gratuita para técnicos, estudantes, líderes comunitários e piscicultores. Inscrições seguem até o dia 20 de abril; seminário acontece nos dias 3 e 4 de maio.

Será ofertada gratuitamente em Macapá uma programação voltada para a produção de tambaqui em tanque-rede. A capacitação, realizada pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) do Amapá, é voltada para técnicos, estudantes, líderes comunitários e piscicultores que atuam ou têm interesse na produção de tambaquis.

As inscrições já iniciaram e seguem até dia 20 de abril. O seminário acontecerá nos dias 3 e 4 de maio e faz parte do projeto “Produção de Tambaqui em Tanque-Rede”, que chega a 5ª edição. Serão oferecidas 120 vagas para as atividades do primeiro dia, que será constituída de palestras, e 30 vagas para o minicurso prático, no segundo dia da programação.

Interessados devem ir até a sede da Embrapa Amapá, que fica na Rodovia JK, Km 5, nº 2600, no bairro Universidade, na Zona Sul. No ato da inscrição, o candidato deverá levar um quilo de alimento não perecível, a ser doado para uma instituição de caridade, após a conclusão do seminário.

De acordo com Marcos Tavares Dias, pesquisador da Embrapa e coordenador do evento, o seminário tem como objetivo trocar experiências e aprimorar as técnicas de manejo adequado do tambaqui.

“O tambaqui é a espécie mais produzida no estado, mas a maioria da produção acontece em viveiros. Em tanques-rede é melhor para a espécie porque eles têm a possibilidade de permanecer no rio, onde a água é mais saldável”, comentou.

Produção de Tambaqui em Tanque-Rede

O cultivo em tanque-rede é um sistema no qual os peixes são mantidos em estruturas flutuantes, compostas por uma armação rígida revestida por redes que devem ser adequadas de acordo com a quantidade de produção. Os tanques-rede são utilizados para a produção de peixes na fase de recria e engorda, tem em média 6 a 50 metros cúbicos. As estruturas permitem a livre circulação da água e podem ser instaladas em ambientes aquáticos por meio de flutuadores, em locais onde há oscilação periódica no nível da água ou por meio de estacas fixas.

Por Carlos Alberto Jr
Fonte: G1

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*