‘Saúde será prioridade n° 1’, diz Japonês após ser eleito prefeito de Vilhena, RO

Empresário venceu nas urnas no último domingo (3), na eleição suplementar. Maria José da Farmácia será a vice de Japonês.

Eduardo Japonês fala após vitória nas urnas (Foto: Renato Barros/Rede Amazônica)
Eduardo Japonês fala após vitória nas urnas (Foto: Renato Barros/Rede Amazônica)

O novo prefeito de Vilhena (RO), Eduardo Japonês (PV), disse que a saúde pública será prioridade na sua gestão municipal. A declaração foi dada após o candidato vencer a eleição suplementar com mais de 20 mil votos, no último domingo (3).

“A prioridade será saúde n° 1. Em todas as visitas e toda caminhada que a gente vai na cidade é pedido saúde. Mas não é uma saúde melhorada, mas uma saúde de mudança. Nós vamos ter a melhor saúde do que Cacoal (RO)”, diz.

À Rede Amazônica, Japonês disse que ainda não decidiu quem serão os secretários da administração, mas isto deve ser feito nos próximos dias.

“Nós não começamos conversar sobre, mas será sempre pautado na capacidade. Acho que chega de colocar pessoas que não tem capacidade. As pessoas pedem por isso”, afirma o empresário.

A vice-prefeita de Vilhena será Maria José da Farmácia, ex-vereadora da cidade.

Vitória

Japonês venceu com folga a adversária Rosani Donadon. O candidato teve 21.520 votos e Rosani Donadon ficou em segundo lugar com 15.933 votos, mas estes são considerados nulos pela Justiça Eleitoral por conta do indeferimento da candidatura dela.

Eduardo concorria pela segunda vez ao cargo de prefeito da cidade. Em 2016, numa disputa também contra Rosani, Japonês recebeu 16.822 votos, contra 21.356 votos de Rosani Donadon, que acabou eleita e teve o mandato cassado neste ano.

Votação

De acordo com dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), 43.974 mil eleitores foram às urnas para escolher o novo prefeito. A cidade tinha 58.798 eleitores aptos a votarem, mas 14.824 faltaram, ou seja, uma abstenção de 25,21%.

A apuração demorou quase duas horas. O TSE diz que 1.520 pessoas votaram em branco e outros 4.941 anularam o voto.

Por: Jonatas Boni
Fonte: G1

Deixe um comentário