Bispos da Irlanda prometem desinvestir em combustíveis fósseis

Logo após a aprovação de um projeto de lei da Irlanda para livrar o país dos combustíveis fósseis, os bispos católicos seguiram o exemplo como resposta ao pedido do papa para que o mundo enfrentasse a mudança climática.

A conferência dos bispos irlandeses disse que o processo de desinvestimento dos combustíveis removerá de suas participações financeiras as 200 principais companhias de petróleo e gás dentro de um período de cinco anos. A decisão, alcançada na reunião geral dos bispos no início do verão irlandês, ocorre um mês depois da Irlanda se tornar o primeiro país do mundo a se comprometer em deixar de investir em empresas de turfa, carvão, petróleo e gás – estimando o valor de mais de 300 milhões de euros.

“Evitar mudanças climáticas posteriores e proteger nosso lar comum exige uma grande mudança de direção, como o Papa Francisco esboça em Laudato Sí”, disse o bispo William Clonn de Cloyne em comunicado, referindo-se à encíclica de 2015 Laudato Si’, Sobre o Cuidado da Casa Comum.

“Em particular, é necessária uma grande mudança em nossas políticas de energia e investimento para longe de combustíveis fósseis altamente poluentes, em direção a energias renováveis mais limpas”, disse o bispo.

Os bispos irlandeses são a segunda conferência dos bispos a se desfazer dos combustíveis fósseis, seguindo os belgas, e se juntam a quase 100 organizações católicas que anunciaram planos de cortar estes ativos de seus portfólios. A maioria dessas organizações desinvestiu em combustíveis fósseis nos últimos dois anos por meio de um programa coordenado pelo Movimento Católico Global pelo Clima. Entre os grupos católicos que se desfazem desse tipo de investimento estão a Caritas Internacional, nove dioceses em todo o mundo, bancos católicos, mais de duas dúzias de congregações religiosas e seis instituições católicas na Irlanda.

Isso inclui a Trócaire, agência irlandesa que ajuda pessoas que sofrem com o impacto das mudanças climáticas. Acredita-se que a organização ajudou a persuadir a conferência dos bispos e outras instituições católicas na Irlanda, incluindo três universidades católicas, a assumirem seus próprios compromissos de ‘desinvestimento’ nos combustíveis fósseis.

Crean, presidente da Trócaire, disse que ao se livrar dos combustíveis fósseis os bispos irlandeses “estão respondendo diretamente ao chamado do papa Francisco em Laudato Si’, onde ele disse que o mundo deve abandonar sua dependência de combustíveis fósseis altamente poluentes… o mais rápido possível”- uma mensagem que o papa transmitiu diretamente aos executivos de energia e petróleo em junho.

Durante todo o Encontro Mundial das Famílias em Dublin, os organizadores enfatizaram a sustentabilidade e fizeram o possível para articular a encíclica ambiental de Francisco no evento.

Em Dublin, um jardim no Mosteiro de St. Damian oferecia palestras diárias sobre biodiversidade.

Uma tenda chamada “Our Common Home” (Nossa Casa Comum) oferecia oficinas diárias para adolescentes e o principal espaço de oração exibia uma vela da justiça climática e imagens sobre o assunto. Uma oração com o tema da Criação foi fornecida nas refeições e guias de sustentabilidade foram distribuídos aos fornecedores. Uma estação de carregamento permitiu que os peregrinos recarregassem seus telefones com energia solar.

Em 23 de agosto, a Trócaire organizou um seminário sobre ação climática, no qual o cardeal Charles Bo, de Yangon, Mianmar, estava entre os oradores. Um culto de oração inter-religioso foi realizado na Catedral Christ Church de Dublin no dia 24 de agosto, um dia antes da chegada do papa, e onde Crean anunciou oficialmente o desinvestimento dos combustíveis por parte dos bispos. O anúncio resultou em uma ovação de pé, de acordo com relatos nas mídias sociais.

Jane Mellett, coordenadora do projeto “Our Common Home”, disse em comunicado que a desconexão da tecnologia diária e de outras distrações pode ajudar a conectar as pessoas à natureza e a vê-la como um “belo presente” de Deus.

“As famílias são alegria para o mundo e, ao rezar e cuidar da Terra, nosso lar comum, podemos arraigar essa alegria”, disse ela.

Por: Brian Roewe
Fonte: National Catholic Reporter
Tradução: Victor D. Thiesen

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.