Primeiro seminário sobre Povos Indígenas e Políticas Públicas acontece em Tefé, no AM

O evento começou nesta segunda-feira (17) e segue pela semana com temas a respeito dos direitos sociais e políticas para indígenas na região do Médio Solimões e Afluentes.

“Ajuri” é uma palavra de origem indígena que pode significar ajuda, auxílio mútuo, mutirão. Esse é um dos objetivos do I Ajuri – Seminário sobre Povos Indígenas e Políticas Públicas no Médio Solimões e Afluentes. O evento começou na cidade de Tefé nesta segunda-feira (17) reunindo representantes indígenas de nove municípios amazonenses, além de organizações governamentais e não governamentais que trabalham na região.

A programação, que está sendo realizada no Auditório do CETAM (Centro de Educação Tecnológica do Amazonas) de Tefé, coloca em pauta o panorama e os desafios que envolve populações indígenas no exercício da plena cidadania. Entre os temas, estão a “previdência social, saúde, educação, gestão ambiental, etnodesenvolvimento, territorialidades indígenas e demarcação de terras”. A FUNAI, Coordenação do Alto e Médio Solimões, é organizadora do evento.

Junto com lideranças e grupos indígenas locais, são esperados órgãos como o Ministério Público Federal (MPF), a Secretaria Estadual de Meio Ambiente (SEMMA) e secretarias municipais de saúde, meio ambiente e educação.

O Instituto Mamirauá, unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), é uma das instituições confirmadas na programação, e vai compartilhar experiências nos cerca de vinte anos de atuação na região, em contato e trabalhos com populações ribeirinhas e indígenas.

De acordo com a organização do seminário, “ao final, espera-se construir coletivamente propostas e encaminhamentos para melhorias de promoção aos direitos dos povos indígenas por parte dos poderes públicos municipais, estadual e federal”.

O I Ajuri – Seminário sobre Povos Indígenas e Políticas Públicas no Médio Solimões e Afluentes acontece até a quinta-feira (20), com entrada e participação gratuita e livre. É uma ótima oportunidade para os moradores conhecerem mais sobre a riqueza de povos indígenas que habitam o Médio Solimões, no Amazonas.

Fonte: A Crítica
Com informações de assessoria de imprensa

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.