Greenpeace fecha sede da petroleira BP no Reino Unido

A empresa britânica quer explorar petróleo em regiões únicas como os Corais da Amazônia e o Ártico Voluntários do Greenpeace Reino Unido fecharam na madrugada de hoje, dia 20 de maio, a sede da petroleira BP, em Londres, pedindo que a empresa encerre imediatamente toda a exploração de novas reservas de óleo e gás e passe a investir apenas em energias renováveis – ou que a empresa reduza suas operações.

Os voluntários do Greenpeace chegaram à sede da empresa britânica BP, no centro de Londres, por volta das três horas da manhã e se colocaram sobre contêineres bloqueando todas as entradas principais da sede da BP. O container traz imagens do fotógrafo Gideon Mendel, que explora os impactos das mudanças climáticas em diversos locais ao redor do mundo. Um time também escalou o prédio da BP e bloqueou cada janela com letras gigantes formando a palavra “Climate Emergency” (Emergência Climática, em inglês).

Voluntários do Greenpeace Reino Unido fecham a entrada da empresa BP em protesto que chama a atenção para as mudanças climáticas. © Jiri Rezac / Greenpeace

O fechamento da entrada da sede da BP ocorreu um dia antes da reunião geral anual da empresa. A atividade foi encerrada por volta das 20h no horário local (16h – horário de Brasília) e alguns voluntários foram presos. De todas as empresas de petróleo, a BP é a que mais financiou ações para bloquear políticas para o combate às mudanças climáticas.

“A BP está alimentando uma emergência climática que ameaça milhões de vidas e o futuro do mundo. A ciência é clara – devemos parar de procurar por novas fontes de petróleo e gás se quisermos um planeta habitável”, diz Paul Morozzo, ativista do Greenpeace. “Pessoas ao redor do mundo estão pedindo uma ação radical para parar uma catástrofe climática e assegurar um futuro melhor. Simplesmente não há espaço para empresas como a BP nesse futuro. Na reunião dos acionistas eles têm uma escolha, podem parar imediatamente novas explorações de óleo e iniciar uma mudança para 100% renováveis”, conclui Morozzo.

Ativistas escalam prédio da empresa britânica BP e colocam mensagem para alertar para a “Emergência Climática”. © Chris J Ratcliffe / Greenpeace

Os Corais da Amazônia também estão ameaçados pela BP

No Brasil, a BP quer a todo custo buscar petróleo na costa Norte do país, perto dos Corais da Amazônia, colocando em risco um ecossistema revelado há pouco tempo e único no mundo. Um derramamento de petróleo ali é uma ameaça aos Corais da Amazônia e aos animais que habitam a região. “O modelo adotado por empresas de petróleo como a BP e a Total está em direção oposta aos esforços para prevenir catástrofes ambientais ligadas às mudanças climáticas. Essas empresas precisam mudar”, afirma Thiago Almeida, coordenador da campanha Defenda os Corais da Amazônia, do Greenpeace Brasil.

Mais de 2 milhões de pessoas ao redor do mundo já disseram que são contra a exploração de petróleo na região dos Corais da Amazônia e se tornaram defensoras desse ecossistema único. Juntos, obtivemos uma primeira vitória contra a petroleira francesa Total. Mas agora precisamos nos unir novamente para garantir a sobrevivência das diversas espécies que habitam os recifes contra as intenções da BP e sua insistência em explorar a região próxima aos Corais da Amazônia.

Vamos impedir que a exploração de petróleo ameace esse local único. Pressione a BP para desistir dos planos absurdos de explorar petróleo perto do recife dos Corais da Amazônia.

Fonte: Greenpeace

Deixe um comentário