Campanha Um Dia no Parque chama brasileiros para áreas naturais protegidas em todo o país

Objetivo é criar uma cultura de celebração de Parques e Reservas por meio do turismo em Unidades de Conservação

A campanha Um Dia no Parque quer mostrar que as Unidades de Conservação (UCs), além de protegerem a biodiversidade, oferecem inúmeras opções de lazer e geram benefícios aos visitantes, como melhora da saúde e garantia de bem-estar, além do desenvolvimento econômico. A Coalizão Pró Ucs, que realiza a campanha, pretende fazer isso por meio da promoção de atividades em contato com a natureza em áreas protegidas de todo o país. Entre as áreas já confirmadas na ação estão os Parques Nacionais da Tijuca, Iguaçu, Serra da Bodoquena, Aparados da Serra e Serra da Capivara, os Parques Estaduais de Ibitipoca e Serra do Brigadeiro, em Minas Gerais, Vila Velha, Ilha do Mel e Guartelá, no Paraná, o Refúgio de Alcatrazes em São Paulo, entre outras.

O objetivo é criar uma cultura de visitação e turismo nas Ucs – mais conhecidas como parques ou reservas – por meio de um dia de comemoração fixo no calendário do país, em que áreas protegidas e parceiros (organizações não governamentais, grupos de visitantes organizados, empresas) em todo o Brasil ofereçam atividades que, além servirem como recreação, despertem a consciência ambiental nos participantes. Em 2019, a ação ocorre no dia 21 de julho.

Esta é a segunda edição da campanha, que teve início em 2018. De acordo com Angela Kuczach, diretora executiva da Rede Pró UC, que idealizou a iniciativa no Brasil, “o povo brasileiro ama a natureza, mas ainda tem pouco contato com o que o Brasil tem de mais bonito e raro, um patrimônio natural que está nas nossas Unidades de Conservação. Com a campanha, queremos gerar esse sentimento de orgulho e pertencimento dessas áreas para nossa sociedade. Em 2018 realizamos o ano zero, de experimentação, e foi um sucesso, com cerca de 65 Unidades de Conservação e parceiros em todo o país participando com múltiplas atividades”, como observação de aves, surf, oficina de pipa, trilhas, contação de histórias. Em 2019, o objetivo é chegar a 100 Ucs participantes.

Instituições, organização não governamentais, coletivos, grupos ligados ou não ao meio ambiente também são convidados a participar por meio da promoção de atividades a visitantes. E opções não faltam. Nas Unidades de Conservação, além das atividades mais conhecidas, como trilha, observação de paisagem e ciclismo, por exemplo, é possível praticar também rapel, asa delta, canoagem, surfe, observação de aves, boia cross, banho de cachoeira, e até um piquenique. A campanha também incentiva que as pessoas visitem as áreas protegidas nesta data, independentemente da previsão de uma ação específica.

De acordo com a bióloga e gerente de Áreas Protegidas da Fundação SOS Mata Atlântica, Erika Guimarães, “o objetivo da campanha é que, em uma década, os brasileiros possam conhecer melhor e desfrutar dos benefícios que nossas Ucs oferecem, ampliando, com isso, o respaldo da sociedade na defesa dessas áreas”.

Turismo como gerador de renda

O turismo em Unidades de Conservação tem aumentado nos últimos anos no Brasil e gerado renda. De acordo com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), de 2013 a 2018 o número de visitantes praticamente dobrou em Unidades de Conservação federais, indo de 6,3 milhões em 2013 para 12,4 milhões em 2018. Os visitantes gastaram, em 2017, cerca de R$ 2 bilhões nos municípios do entorno das Ucs, gerando cerca de 80 mil empregos. Todos os setores ligados ao ecoturismo são beneficiados, como o hoteleiro, de alimentação, transporte, além do comércio em geral. Um estudo realizado pelo Instituto SEMEIA, membro da Coalizão Pró Ucs, afirma que o Brasil tem o potencial de gerar até 168 bilhões de reais com o turismo de natureza, enquanto outro estudo do ICMBio mostra que para cada um real investido nas Ucs, sete reais são gerados na economia.

De acordo com uma pesquisa do IBOPE Inteligência encomendada pelo WWF-Brasil, 91% dos brasileiros deseja ter mais contato com a natureza do que tem hoje em dia. A mesma pesquisa mostra que 82% procura por locais que tenham paisagens naturais quando vão viajar. Segundo a coordenadora do Programa de Ciências do WWF-Brasil, Mariana Napolitano, “a campanha Um Dia no Parque é um incentivo ao ecoturismo, que beneficia tanto a população local, que tem a economia estimulada pelo fluxo de pessoas, com mais movimento na rede hoteleira, de alimentos e artesanato, entre outros, como os visitantes, com experiências enriquecedoras”.

Em 2019, a campanha Um Dia no Parque conta com o apoio da GIZ Brasil e Grupo Cataratas, além das instituições que fazem parte da Coalizão Pró Ucs, realizadora da ação.

Coalizão Pró-Unidades de Conservação

A Coalizão Pró-Unidades de Conservação é um grupo de instituições que se propõe a congregar empresas e organizações da sociedade civil comprometidas com a valorização e a defesa das Unidades de Conservação da Natureza. Integram a Coalizão: Rede Pró UC – Rede Nacional Pró Unidades de Conservação, Fundação SOS Mata Atlântica, Conservação Internacional – CI Brasil, Fundação Grupo Boticário para a Conservação da Natureza, Imaflora – Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola, Instituto Semeia, WWF-Brasil, The Nature Conservacy – TNC Brasil, Imazon – Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia, IPÊ – Instituto de Pesquisas Ecológicas e a UICN-Brasil – União Internacional para a Conservação da Natureza.

Redes sociais Na página da Coalizão Pró Ucs no Facebook(https://www.facebook.com/unidoscuidamos/) é possível encontrar informações, além de confirmar a participação no evento. E no hotsite da campanha há dicas de visitação, sugestões de atividades, além de arquivos para download, como um guia com informações a gestores das Unidades de Conservação e parceiros. O endereço é www.umdianoparque.net.

Serviço:

O que: Um Dia no Parque

Quando: 21 de julho

Onde: Unidades de Conservação em todo o país

Quem pode participar: todos os interessados em praticar atividades na natureza ou contemplar a paisagem

Como: visitando as UCs participantes, ou praticando uma atividade em contato com a natureza

Fonte: Coalizão Pró-Unidades de Conservação

Deixe um comentário