Indígena Guajajara é assassinado por madeireiros no Maranhão

Foto: Patrick Raynaud/ Mídia Índia

O líder indígena Paulo Paulino Guajajara foi assassinado nesta sexta-feira (1º) na Terra Indígena Araboia, região de Bom Jesus das Selvas, no Maranhão. Ele era integrante do grupo autodenominado Guardiões de Floresta que realiza de forma independente a vigilância do território contra madeireiros que atuam de forma ilegal dentro do território.

Segundo a Secretaria dos Direitos Humanos e Participação Popular, Paulo foi vítima de uma emboscada quando se afastou da aldeia junto com o indígena Laércio Souza Silva. Eles foram surpreendidos por cinco homens armados, que efetuaram os disparos. Laércio foi atingindo nas costas e no braço, mas conseguiu chegar na aldeia e receber atendimento. Um dos madeireiros está desaparecido.

A Coordenadora da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil, Sônia Guajajara lamentou a morte e exigiu justiça. “Não queremos mais ser estatística, queremos providências do puder público, dos órgãos que estão cada vez mais sucateados exatamente para não fazer a proteção dos povos que estão pagando com a própria vida por fazer o trabalho que é responsabilidade do estado. Exigimos Justiça urgente!! Território Araribóia está mais uma vez em luto”, afirmou em sua página.

O governo do Maranhão, por meio da secretaria de Direitos Humanos está acompanhando a situação e anunciou em suas redes sociais que uma equipe já está no local para apurar o caso e dar suporte aos indígenas.

A Terra Indígena Ariboia é alvo de madeireiros e grileiros e tem sido palco de violentos conflitos. Em resposta os indígenas organizaram um grupo de fiscalização chamado Guardiões da Floresta que busca impedir a atuação ilegal. Indígenas isolados Awá também vivem no território.

Fonte: Amazônia.org.br

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.