Sociedade civil divulgam manifesto em defesa da democracia

Aproveitando o Dia dos Direitos Humanos, celebrado hoje (10), organizações, ativistas e cientistas divulgaram uma carta em defesa da democracia brasileira, durante a 25ª Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas de 2019 (COP-25), que acontece em Madrid, na Espanha.

A carta foi lançada no Centro de Ação Climática do Brasil e foi idealizada a partir da insatisfação da sociedade com o retrocesso que o país vem enfrentando. “Pela primeira vez, em mais de três décadas, vemos demonstrações de retrocesso em algumas liberdades fundamentais duramente conquistadas”, diz a carta. Alguns exemplos são os ataques do Presidente da República, as mortes de indígenas por guerra entre terras na qual os governos ficam do lado daqueles que mais tem poder, a morte de nove jovens um uma periferia por uma ação da polícia, brigadistas e ONGs acusados injustamente, ataques ao cinema e obras brasileiras, etc.

Assinam a carta 124 organizações da sociedade civil e mais de 500 ativistas, artistas, cientistas, promotores públicos e jornalistas. Entre seus assinantes estão as ex-ministras do Meio Ambiente, Marina Silva e Izabella Teixeira, ONGs que protegem o meio ambiente, como Imaflora, Imazon, e Amigos da Terra Amazônia Brasileira, artistas como o humorista Fábio Porchat e a atriz Débora Falabella, e cientistas como o climatologista Carlos Nobre e o biólogo Braulio Dias (ex-secretário executivo da Convenção de Biodiversidade da ONU).

A data de lançamento foi pensada para trazer a visibilidade e um pedido de ajuda durante o evento organizado pela ONU que reúne diversos países em busca de melhorias das mudanças climáticas que é desencadeada por vários setores.

“Passa da hora de toda a sociedade brasileira dizer claramente: não toleraremos afrontas a nossos princípios democráticos!”, alerta a carta.

Fonte: Amazônia.org.br

Deixe um comentário