Garimpeiro fica ferido em troca de tiros com o Exército na Terra Indígena Yanomami, em RR

Exército informou que troca de tiros ocorreu quando garimpeiros em dois barcos não pararam em posto de fiscalização e atiraram contra tropa.

Um garimpeiro foi preso e outro ficou ferido após uma troca de tiros com militares do Exército, nesse domingo (19), na Terra Indígena Yanomami, em Roraima. Ele foi resgatado em um helicóptero e levado ao Hospital Geral de Roraima (HGR), em Boa Vista.

Conforme o 1ª Brigada de Infantaria de Selva, os garimpeiros estavam em duas embarcações subindo o rio Uraricoera quando foi solicitado que eles parassem no posto de verificação. Os homens, no entanto, atiraram contra a tropa.

“Os militares revidaram realizando disparos contra as embarcações civis. As duas embarcações civis conseguiram fugir”, informou a 1ª Brigada.

Pouco depois um dos barcos retornou ao posto do Exército com quatro garimpeiros a bordo. Um deles era o ferido e outro que também participou da troca de tiros.

O garimpeiro ferido foi socorrido pelos militares e levado ao posto médico mais próximo na Terra Indígena Yanomami.

Depois, ele foi transferido até Boa Vista em um helicóptero do Exército. Conforme a 1ª Brigada, ele está internado no HGR, onde será mantido sob custódia após receber alta. O outro garimpeiro, que atirou contra os militares foi preso em flagrante e deve ser apresentado à Justiça Federal Militar.

Em nota, o Exército disse ainda que “a tropa pauta suas ações pela legalidade, que no caso, está sendo infringida pelos garimpeiros que insistem em perpetrar o crime de extração de minérios em terras indígenas. Os militares em operação agirão de acordo com as normas vigentes, adotando o princípio da proporcionalidade na resposta a agressões sofridas.”

A troca de tiros ocorreu uma semana depois que dois militares do Exército se feriram em perseguição a garimpeiros que tentavam entrar na Terra Indígena Yanomami. Um deles sofreu um corte grave nas costas. Após a confusão, nove garimpeiros foram presos em ação conjunta do Exército com a Polícia Federal.

Fonte: G1

Deixe um comentário