Embrapa, Sebrae e Inpe realizam levantamento on-line sobre tendências em agricultura digital

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), está realizando um levantamento on-line sobre tendências, desafios e oportunidades em agricultura digital.

O objetivo é saber de que forma tecnologias como os aplicativos de celular, programas de computador, sensores, imagens de satélites, vants e drones são utilizados atualmente no planejamento agrícola, manejo, colheita, comercialização e transporte de insumos e da produção agropecuária.

Os resultados do levantamento vão orientar novas pesquisas e inovações, além de ajudar nas estratégias de fortalecimento de pequenos negócios que ofereçam soluções digitais para agregação de valor e aumento da competitividade e sustentabilidade da atividade agrícola. A pesquisa é direcionada a produtores rurais com atuação em diferentes atividades agropecuárias e também empresários e prestadores de serviços em agricultura digital.

Para participar, basta acessar o questionário aqui.

Segundo o coordenador do estudo, o pesquisador da Embrapa Informática Agropecuária (Campinas, SP) Édson Bolfe, o Brasil possui um grande potencial na transformação digital da agricultura e muitas soluções já vêm sendo desenvolvidas por instituições de pesquisa, universidades, empresas e startups. “No entanto, ainda existem lacunas de informação, especialmente com relação a tecnologias da área de sensoriamento remoto, que são fundamentais para amparar decisões estratégicas em novas pesquisas e negócios que querem inovar na solução de problemas reais e atender nichos no setor agropecuário”, ressalta. Por isso, na avaliação dele, é importante saber as necessidades e dificuldades do produtor rural no uso das tecnologias digitais e também aquilo que o mercado tem a oferecer.

Um dos focos da pesquisa são as tecnologias que envolvem o uso de imagens de satélites, de vants e drones, e de dados de sensores instalados no solo. “São tecnologias normalmente utilizadas para mapear os níveis de produtividade da lavoura, monitorar a ocorrência de pragas, doenças e as condições do solo, clima e planta, ou ainda que ajudam no gerenciamento de sistemas de irrigação e na elaboração do Cadastro Ambiental Rural, entre outros exemplos”, explica Lúcio Jorge, pesquisador da Embrapa Instrumentação (São Carlos/SP), que também faz parte da equipe do estudo.

O levantamento conta com o apoio de instituições e organizações públicas e privadas ligadas ao setor produtivo agropecuário e de geotecnologias. Estão previstas ainda a realização de entrevistas com especialistas e tomadores de decisão e a análise de documentos técnico-científicos e de políticas públicas. A iniciativa integra o projeto “Inteligência estratégica para pequenos negócios rurais: agregação de valor e tecnologia”, realizado pela Embrapa e o Sebrae Nacional por meio de um convênio de cooperação técnica, com apoio da Fundação Eliseu Alves (FEA). Os estudos vinculados ao projeto estão sendo realizados sob a coordenação do Agropensa, da Secretaria de Inteligência e Relações Estratégicas (SIRE) da Embrapa.

Por: Graziella Galinari
Fonte: Embrapa

Deixe um comentário