Pará encerra período de lockdown; duas cidades do estado seguem com isolamento total

Governo diz que a decisão de continuar ou não com o comércio não essencial fechado é das prefeituras

Pessoas estavam na rua sem máscara nesta segunda-feira, 25, em Belém do Pará. – Cristina Corrêa/ArquivoPessoal

Quem foi às ruas da capital paraense nesta segunda-feira (25) percebeu uma movimentação maior. Isso porque no último domingo (24), o governo do Estado encerrou o chamado lockdown, isto é, o fechamento obrigatório de todas as atividades não essenciais. Os municípios de Cametá e Abaetetuba, no nordeste do Estado, seguem em isolamento total.

De acordo com o governo do Pará, a decisão de seguir ou não com o lockdown cabe agora às prefeituras. O Pará tem 144 municípios. Destes, 16 aderiram ao lockdown. Foram eles: Abaetetuba, Cametá, Canaã dos Carajás, Capanema, Parauapebas, Santarém, Belém, Ananindeua, Marituba, Benevides, Santa Bárbara do Pará, Santa Izabel do Pará, Castanhal, Santo Antônio do Tauá, Vigia de Nazaré e Breves.

O lockdown começou inicialmente com 9 municípios, no dia 7 de maio. Depois, houve a adesão de mais 7 cidades. Segundo dados da Secretaria de Segurança Pública do estado, em nenhum dos dias do decreto atingiu os 70% recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS). O máximo foi de 57,12%, no dia 17 de maio.

Cristina Corrêa teve que sair de casa nesta segunda-feira (25) para comprar remédios para a sua mãe, que está com suspeita da covid-19. Ela afirma que o número de pessoas nas ruas é consideravelmente maior do que, por exemplo, na última sexta-feira (22) quando ela foi ao supermercado. Ela também pontua que hoje já encontrou uma série de pessoas circulando nas ruas sem máscara.

“Na Almirante Barroso, uma avenida grande aqui de Belém, eu vi gente praticando exercício físicos sem máscara. Além disso, em alguns pontos da cidade já foi possível perceber um fluxo maior dos carros”, diz ela.

Cristina conta que no último domingo (24) acompanhou a mãe até o Hospital Abelardo Santos, considerado referência no estado para o tratamento da covid-19 e o local estava praticamente vazio.

“O local estava tranquilo. Minha mãe foi atendida por um médico cubano que nos tratou muito bem. Ele conversou com ela por quase 30 minutos, porque ela estava muito nervosa e eu também. Agora, ela vai iniciar o tratamento com azitromicina e vitaminas para fortalecer o sistema imunológico. Estamos observando”, comentou.

A decisão do governo do estado para pôr fim ao lockdown teve como base, segundo o próprio governo, em um relatório técnico realizado pela Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA) e pela Universidade Federal do Pará (UFPA), com o apoio da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) e Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Pará (Prodepa)

“As previsões mostraram, entre os dias 16 a 20 de abril, uma tendência de aumento expressivo do número de casos confirmados de covid-19, bem como no intervalo entre os dias 21 a 26 de abril, a tendência de redução de contágio. É importante ressaltar que outras variáveis não previstas podem influenciar nas projeções e no tempo de duração da pandemia. Outro aspecto que pode afetar as predições é o avanço da pandemia em direção aos municípios do interior do Estado do Pará e a taxa de adesão da população às medidas de combate ao coronavírus, como o isolamento social. As subnotificações de casos confirmados e óbitos que se somam a datas passadas podem invalidar os cenários atuais de previsões e, portanto, é necessário o reprocessamento recorrente de dados com a nova matriz de realidade”, diz o documento.

Protesto

No centro de Belém um grupo de comerciantes realizou um protesto alegando que não sabia o que era e o que não era permitido funcionar. Eles foram conduzidos até a delegacia, porque as aglomerações com mais de 10 pessoas ainda não são permitidas.

O decreto estadual 777/2020, publicado no dia 23 de maio, autoriza reuniões presenciais e cultos, com no máximo 10 pessoas, desde que sejam obedecidas as medidas de proteção sanitária e distanciamento de um metro e meio entre os participantes, além do uso de máscaras. Continuam proibidos eventos, reuniões, manifestações, passeatas/carreatas, de caráter público ou privado e de qualquer natureza, com audiência maior ou igual a dez pessoas.

As escolas estaduais continuam com as aulas suspensas, portanto, deve ser mantida a oferta de merenda escolar ou medida alternativa que garanta a alimentação dos alunos.

Os servidores ocupantes de cargos de chefia retornaram ao trabalho presencial nesta segunda (25) para planejar o retorno gradual das atividades presenciais. O trabalho remoto continuará a ser realizado em todas as unidades em que seja possível.

Shoppings centers, salões de beleza, clínicas de estética e barbearias; canteiro de obras e estabelecimentos de comércio e serviços não essenciais; academias de ginástica, bares, restaurantes, casas noturnas, balneários, entre outros, devem continuar fechados.

Os serviços de delivery relacionados às atividades essenciais estão autorizados a funcionar sem restrição de horário. Permanecem suspensos ainda os serviços de vistoria do Detran/PA e as visitas a unidades prisionais e unidades socioeducativas do Estado.

Além disso, os órgãos responsáveis pela fiscalização seguem autorizados a aplicar sanções previstas em lei relativas ao descumprimento de determinações do decreto: advertência; multa diária de até R$ 50 mil para pessoas jurídicas e multa diária de R$ 150 para pessoas físicas.

Por: Catarina Barbosa
Fonte: Brasil de Fato

Deixe um comentário