Governador do Pará é alvo de operação policial por possíveis fraudes

Agentes da Polícia Federal e da Polícia Civil realizam operação contra desvios na área da Saúde no Pará, com apoio da CGU

Agentes da Polícia Federal e da Polícia Civil realizam operação contra desvios na área da Saúde no Pará, com apoio da CGU (Controladoria Geral da União). Ações também acontecem em São Paulo e no Paraná - Divulgação Polícia Federal
Imagem: Divulgação Polícia Federal

Operações deflagradas na manhã desta terça-feira (29), miram desvios de recursos públicos destinados à saúde. O governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), é um dos alvos da PF (Polícia Federal) por possíveis irregularidades na contratação de organizações sociais para gestão de unidades hospitalares, além de hospitais de campanha para a pandemia do novo coronavírus.

A ação, batizada como “S.O.S.” é feita em conjunto com o MPF (Ministério Público Federal) e a CGU (Controladoria Geral da União), e investiga 12 contratos feitos entre agosto de 2019 e maio de 2020 que somam mais de R$ 1,2 bilhão com quatro organizações sociais e da qual R$ 310 milhões já foram pagos.

No Pará, o STJ (Superior Tribunal de Justiça) expediu ao menos 12 mandados de prisão temporária e outros 41 mandados de busca e apreensão. Conforme a PF, entre os investigados estão empresários, integrantes da diretoria do governo do Pará, além do próprio governador, Barbalho.

Segundo o MPF, Barbalho “tratava previamente com empresários” assuntos ligados à “contratação emergencial de organizações sociais com dispensa de chamamento público, possibilitando o direcionamento para organizações integrantes do esquema criminoso.” O governador, de acordo com os investigadores, estava envolvido em direcionamento e fraudes nas contratações. “E, possivelmente, exercendo função de liderança na organização criminosa, com provável comando e controle da cadeia delitiva, dado que as decisões importantes acerca dos rumos da organização criminosa lhe pertenciam”, diz o MPF.

*Informações do site Uol

Fonte: Amazônia.org.br

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.