Amazônia perde mais um pesquisador para a COVID

Amazônia perde mais um pesquisador para a COVID
Foto: divulgação Universidade Federal do Amazonas

Dias após divulgarmos aqui a triste notícia do falecimento, em Manaus, de Richard Vogt, um dos maiores pesquisadores do mundo sobre tartarugas, a Amazônia perde mais um cientista e pesquisador, vítima da COVID-19. Morreu esta manhã Marcelo Menin, professor associado da Universidade Federal do Amazonas.

Menin era coordenador do Programa de Pós-Graduação em Zoologia, sub-curador da Coleção Zoológica Prof. Paulo Bührnheim e ministrava disciplinas de Zoologia Geral e Vertebrados.

O biólogo estava internado na UTI e morreu de complicações provocadas pelo coronavírus.

O pesquisador defendia a disseminação do conhecimento da ciência para diversos públicos. Juntamente com Domingos Rodrigues e Flávia Lima, publicou o livro infantil ‘Diferentes Formas de Nascer: conhecendo os girinos da Amazônia’, da Coleção Girinos do Brasil, distribuída gratuitamente para escolas públicas.

 “A ideia é atingir o público infanto-juvenil usando dados científicos, os quais foram transformados para uma linguagem acessível. Nós pesquisadores, acabamos sempre produzindo informações que são lidas somente por nossos pares, ou seja, por outros pesquisadores que têm interesse no mesmo assunto. Um dos grandes desafios que temos hoje é justamente mostrar para a sociedade os resultados das pesquisas e qual sua importância. Acredito que, levando informação de qualidade para esse público, permite sensibilizá-lo sobre a importância da biodiversidade e torná-lo aliado na preservação”, afirmou Menin na época.

Para o cientista, ao preservar o meio o ambiente, estamos preservando a qualidade de vida da nossa própria espécie. Menin foi um dos autores ainda de um guia gratuito e online que mostra os cantos dos sapos da Amazônia. Já que os sapos são difíceis de serem encontrados, o objetivo da ferramenta era ajudar a diminuir custos de pesquisa em estudos de impacto ambiental, pois seria possível constatar a presença de cada espécie apenas pelos sons.

A morte de Marcelo Menin é mais uma perda para a ciência brasileira e a Amazônia. Nas redes sociais, colegas e amigos lamentaram sua partida.

“A Amazônia perde mais um grande pesquisador, o jovem e querido Marcelo Menin! Meus sentimentos a todos familiares e amigos. Se cuidem ao máximo amigos. Ainda não há vacina, e pior do que isso, não há comprometimento público algum para a resolução dessa crise humanitária que aflige o norte do país”, escreveu em sua página no Facebook, o também biólogo João Vitor Campos e Silva.

“Meus sentimentos também aos familiares de amigos do Paulo Boca, um dos maiores conhecedores e especialistas da flora botânica. Uma parte importante do conhecimento Amazônico se vai com esse grande homem! Manaus está mergulhada em luto. É um pesadelo, muito tristeza e indignação”, completou.

A situação em Manaus continua crítica. O sistema público de saúde entrou em colapso e médicos relatam um cenário assustador nos hospitais da cidade.

*Com informações da Universidade Federal do Amazonas