Ensecadeira se estende de ponta a ponta em canal do rio Xingu, inundando trechos florestados de ilha e terra firme

Nas margens do Arroz Cru, região onde se concentrava o maior número de ribeirinhos, pescadores, seringueiros e agricultores da Volta Grande, no Rio Xingu, casas habitadas e abandonadas se misturam ao cenário de ficção científica da construção da primeira barragem de Belo Monte. Em algumas das casas vazias, é possível ver vacas e bois abandonados e cachorros sem o que comer. Nas residências ribeirinhas, onde domingo era dia de reunião nas casas mais espaçosas, silêncio.

A primeira das três primeiras ensecadeiras que servirão para a construção da barragem da Usina Hidrelétrica Belo Monte já fechou o rio Xingu. Situada no chamado canal do Arroz Cru, o canteiro de obras foi alvo de protestos no mês de janeiro.

No entorno da Ilha do Pimental, localizada na margem oposta do canal, diversas placas boiando na água advertem às embarcações que já não é mais permitido transitar por lá. E de fato, não há saída: de ponta a ponta, o canal, da margem do Arroz Cru até a ilha, já foi barrada pela primeira ensecadeira da usina.

O barramento já alterou o nível do rio no canal. Acima da ensecadeira, a água está cerca de três metros mais alta do que à jusante, dizem os pescadores. “Tá vendo aquele coqueiro? A água nunca chegou nessa altura”, comentou um pescador. “O rio já está bem cheio e ainda é janeiro. E aqui perto do aterro [ensecadeira] tá muito alto. Será que é por isso que lá em Altamira tá cheio daquele jeito?”, questionam entre si. De fato, a “enchente”, como é chamado o período das cheias e do inverno na cidade, está adiantada. “É porque é ano bissexto”, explicam.

“E a água represada tá correndo pra lá, pras ilhas, pra terra”, diz o pescador. De fato, a barragem provisória ja está inundando trechos florestados de ilha e terra firme. “E como eles vão fazer depois? Tirar a água do rio pra derrubar a mata?”, indagam os pescadores.

De acordo com os pescadores, se o trecho do rio em questão ficar permanentemente cheio, é o início do fim da vida na Volta Grande do Xingu. “As praias daqui já estão debaixo d’água e nós nunca mais vamos ver. Os peixes não vão comer esse lodo cheio de barro que está sedimentando no fundo do rio. A gente disse pra Norte Energia que os peixes vão morrer e que não vamos poder pescar, e que depois só ia sobrar o Tucunaré, porque ele é um peixe predador. Aí o engenheiro me disse que isso era uma coisa boa, e perguntou se a gente não achava isso bom”, conta um pescador.

A supressão da vegetação da Ilha do Pimental também avança. De acordo com moradores da região, o desmatamento já tem cerca de oito quilômetros de comprimento.

Fonte: Movimento Xingu Vivo para Sempre

Deixe um comentário

8 comentários em “Ensecadeira se estende de ponta a ponta em canal do rio Xingu, inundando trechos florestados de ilha e terra firme

  • 26 de junho de 2013 em 0:28
    Permalink

    a cobra devia ter cortado a cabeça da cobra e decapitado a eva

  • 15 de fevereiro de 2012 em 23:09
    Permalink

    A resposta está no capitalismo insano. Sou a favor do radicalismo sim. Eva deveria ter matado a cobra decapitado Adão e deixado o Paraíso para os animais ditos irracionais.

    • 25 de novembro de 2012 em 23:02
      Permalink

      para controlar a loucura Só a lei de talião .

  • 1 de fevereiro de 2012 em 17:51
    Permalink

    Oportuna e muito inteligente a manifestação de Paulino no dia 01.02.2012.
    Tem que se ouvir os argumentos dos dois lados. Afinal, todos tem interesse neste empreendimento, seja a favor ou contra. Não dá para aceitar na verdade as atitudes radicais.

    FM

  • 1 de fevereiro de 2012 em 15:12
    Permalink

    Concordo! Também acho que os defensores do ‘progresso’ acima de tudo e de todos, em benefício de uma minoria absoluta, deveriam se preocupar com o que está por trás dessa sanha insana a favor de construção de todas essas usinas na PLANÍCIE AmazÔnica!
    Será mesmo que é somente pela geração de energia?

  • 1 de fevereiro de 2012 em 0:18
    Permalink

    Acho que os defensores do “avanço” deveriam se preocupar com o que esta por tráz desta sanha insana a favor da construção da uSina.
    A mais de trinta anos eu veja a luta a favor da construção. Será que é só mesmo pela geração de energia?
    Duvido !!!!

  • 31 de janeiro de 2012 em 19:53
    Permalink

    Acho que os defensores do atrazo deveriam se preocupar com o que esta por tráz desta sanha insana contra a construção da uzina.
    A mais de trinta anos eu veja a luta contra a construção será que é só mesmo pela defesa do meio ambiente?
    Duvido !!!!

Fechado para comentários.