STJ determina prisão de prefeito

Defesa garante que eles vão se apresentar na sede da PF de Altamira

Os ministros do Superior Tribunal de Justiça (STJ) cassaram na tarde de terça-feira, 28, a Liminar que libertou da prisão o prefeito do município de Vitória do Xingu, Liberalino Neto, e a primeira dama do município, Roseli Aparecida de Almeida Braga. O gestor é acusado pela Controladoria Geral da União e pelo MPF de chefiar uma quadrilha que desviou mais de R$ 17 milhões de verbas da União que foram destinados aos cofres do município.

Por conta das acusações, o prefeito de Vitória do Xingu ficou preso preventivamente em Altamira por mais de 60 dias. Ele foi libertado por força de liminar do próprio Superior Tribunal de Justiça, que concedeu habeas-corpus em seu favor, mas impediu seu retorno ao cargo de prefeito. Depois que o gestor foi preso, a juíza federal de Altamira, Lucyana Said Daibes Pereira, determinou o afastamento do gestor e de vários secretários municipais por um prazo de 90 dias.

À época, além de Liberalino, foram afastados Roseli Aparecida de Almeida Braga, primeira-dama e secretária de Saúde; Aldir Nazário de Carvalho, secretário de Obras; Helton Wagner Lisardo, secretário de Finanças; e Carlos Alberto Gama de Almeida, Benedito da Silva e Etieli Rodrigues Moraes, da Comissão de Licitações do município.

Fonte: O Liberal

Deixe um comentário