UHE Bem-Querer receberá aporte de R$3,9 bilhões

Os recursos fazem parte da segunda etapa do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC II)

A senadora Ângela Portela (PT-RR) revelou que a garantia de construção da hidrelétrica de Bem-Querer está na segunda etapa do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC II). A usina será construída no leito do rio Branco, perto do município de Caracaraí, a 125 quilômetros da capital. Os investimentos são da ordem de R$3,9 bilhões. “É um projeto relevante para o desenvolvimento do estado”, lembrou a senadora.

Portela defendeu a importância da construção de hidrelétricas em Roraima, para que “o estado saia da dependência energética”. Segundo ela, a capital Boa Vista recebe hoje abastecimento da Venezuela, e tem sofrido muito nos últimos tempos com a qualidade da energia.

A senadora recebeu da ministra do Planejamento, Miriam Belchior, a garantia de que a Secretaria de Orçamento Federal (SOF) está dando atenção especial ao projeto. Estudos da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), inclusive, já revelam viabilidade ambiental e econômica de Bem-Querer.

De acordo com a senadora, porém, há estudos de viabilidade energético-econômica e socioambiental que recomendam a construção de mais três barragens menores em Paredão, no rio Mucajaí. Assim, o complexo demandaria investimentos de R$5,5 bilhões. “As propostas de Bem-Querer e Paredão são atraentes do ponto de vista econômico e socioambiental. Há, ainda, um longo caminho a percorrer”, disse a senadora.

Ela declarou que serão feitas audiências públicas com a sociedade para debater a construção das usinas. Para a Portela, além da questão econômica, há aspectos sociais e culturais, além da necessidade de preservação ambiental. “Esse projeto pode dar nova dinâmica ao desenvolvimento de Roraima e da região amazônica”, finalizou.

Fonte: Jornal da Energia
Com informações da Agência Senado 

Deixe um comentário