Movimentos sociais fazem manifestação no centro do Rio contra o Código Florestal

Participantes de diversas entidades ligadas a movimentos sociais, organizações não governamentais (ONGs), índios, ambientalistas e cientistas que estão no Rio de Janeiro para a Cúpula dos Povos, evento paralelo à Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, além de servidores estaduais e federais fizeram uma grande manifestação hoje contra o novo Código Florestal e pela preservação da natureza. Eles ocupam as duas principais vias do centro da cidade, a Avenida Rio Branco e parte da Avenida Presidente Vargas, provocando extensos congestionamentos no trânsito para quem chega ao centro da cidade.

O protesto coletivo aproveitou a abertura oficial da Rio+20, que foi feita nesta quarta-feira (20), pela presidenta Dilma Rousseff, no Riocentro, reunindo cerca de 100 chefes de Estado e de Governo.

Mesmo com a chuva fina que cai na cidade, os manifestantes não perderam a empolgação na passeata, que é animada com vários trios elétricos, tamborins, apitos e pessoas fantasiadas, como um grupo de jovens que se caracterizou de viúvos e encenam um velório no qual o caixão simboliza o novo Código Florestal.

“Eu estou aqui presente na Cúpula dos Povos para gritar em socorro da Amazônia que está sendo destruída sistematicamente, se transformando em capital e, com isso, o Brasil e a humanidade vão se prejudicar”, disse João Gierse, 51 anos, morador de Roraima, que se caracterizou de Floresta Amazônica para chamar a atenção das autoridades quanto ao desmatamento e às queimadas que estão devastando a floresta.

Outro manifestante que fez questão de participar do ato é o representante do movimento Coletivo Curupira do Brasil pelas Florestas, José Prata, 60 anos, que ressaltou que é dever de todos lutar pela causa ambiental.

“Eles [os participantes da Rio+20] estão discutindo a tal da economia verde para dar uma melhoradinha no capitalismo brasileiro e sobrou para a sociedade vir para a rua se manifestar. Nós queremos que a Dilma atue diretamente na questão ambiental. Nós precisamos cancelar esse malfadado Código Florestal e substitui-lo por uma legislação moderna de forma cientifica e não na marra”, disse.

A manifestação está sendo acompanhada de perto por policiais militares, guardas municipais e operadores de trânsito. Um helicóptero da Secretaria de Segurança Pública sobrevoa a região. Nenhum incidente foi registrado até o momento.

Fonte: Agência Brasil – EBC
Edição: Fábio Massalli

Deixe um comentário